HOME Matérias Especial Vitais e invisíveis: A manutenção dos equipamentos de grande porte...

Vitais e invisíveis: A manutenção dos equipamentos de grande porte num hotel

Geradores de energia, bombas de aquecimento de água, elevadores e centrais de ar condicionado fazem o hotel funcionar e dão ao hóspede os confortos mais básicos. Mas se forem esquecidos, podem causar grandes problemas

696
0
SHARE
Não são vistos, mas estão ali: cada detalhe do hotel depende dos grandes equipamentos que dão vida ao fluxo de trabalho hoteleiro

Pensar em mimos para os hóspedes como chocolates ou brindes sobre o travesseiro pode ser uma boa estratégia para fazê-lo voltar ao hotel. Mas isso pode vir por água abaixo caso os confortos mais básicos de sua estadia não estejam funcionando bem. Água quente no chuveiro, temperatura ideal no quarto e a própria energia elétrica que faz tudo isso funcionar é o mínimo que o cliente espera quando viaja, e ter tudo isso sempre em funcionamento pode parecer simples, mas carece de total atenção do gestor hoteleiro.

A manutenção preventiva é um assunto recorrente na hotelaria. Geralmente quando esse assunto é levantado, logo pensamos nos pequenos danos que podem ser evitados, como uma dobradiça de porta que range ou uma pintura descascada. Contudo, tratando-se de equipamentos de grande porte como elevadores, geradores de energia, centrais de ar condicionado e bombas de aquecimento de água o cuidado é ainda mais minucioso: estes itens interferem fortemente nos custos do hotel, que incidem no valor da diária – o que volta a atingir o hóspede. Além disso, manter a segurança de todos os envolvidos, sejam clientes ou colaboradores, é essencial. Eles podem não ser vistos pelos hóspedes, mas certamente fazem toda a diferença.

A sinergia entre a equipe ou empresa terceirizada de manutenção é essencial. O gestor que não orienta seus colaboradores, de todos os setores do hotel, a reportarem qualquer problema durante sua rotina de trabalho, pode colher maus frutos no futuro. Ao contrário do que muitos hoteleiros possam pensar, a manutenção planejada é muito mais barata que a emergencial, mas é a segunda a mais recorrente. Desde o projeto arquitetônico até a entrega dos serviços ao cliente final, todo cuidado com estes equipamentos ainda é pouco.

Monitoria diária

Nilson Bernal –  “Os cuidados com estes equipamentos é que vão garantir a segurança na funcionalidade do resort, garantindo o conforto  e a higiene”
Nilson Bernal –
“Os cuidados com estes equipamentos é que vão garantir a segurança na funcionalidade do resort, garantindo o conforto
e a higiene”

Cada equipamento de grande porte, tais como aquecedores de água, geradores de energia, elevadores, bombas de piscinas, central de ar condicionado, bombas de incêndio, transformadores, e outros têm sua particularidade de operação, manutenção e controle, sendo necessário em cada caso as manutenções preventivas, que vão desde lubrificação, reparos até substituição de peças. O Bourbon Atibaia Convention & Spa Resort, situado no interior de São Paulo, faz um monitoramento diariamente, através de um check list específico para cada equipamento.

Nilson Bernal, Gerente Geral do empreendimento paulista, explica que todo equipamento possui uma ficha de cadastro e controle, para manutenção preventiva. “Alguns equipamentos requerem procedimentos obrigatórios por legislação, como por exemplo, os aquecedores de água, que seguem a NR 13 para garantir seu funcionamento com segurança. Temos geradores energia de grande porte onde a manutenção preventiva mensal ou corretiva quando necessário é realizada por uma empresa especializada. Nossos elevadores também passam por vistorias semanais e sua manutenção é feita pelo fabricante do equipamento. Grande parte da manutenção dos nossos equipamentos é executada pela equipe de manutenção do próprio resort”, assegura.

01_Revist_r2_CURVASNa manutenção do resort em Atibaia (SP) várias normas de segurança são seguidas, tais como:
• NR-6: Equipamentos de Proteção Individual
• NR-8: Edificações
• NR-9: Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
• NR-10: Instalações e Serviços em Eletricidade
• NR-12: Máquinas e Equipamentos
• NR-13: Caldeiras e Vasos de Pressão
• NR-33: Espaços Confinados
•NR-35: Trabalhos em Altura
Bernal declara ainda que os equipamentos podem ter sua vida útil prolongada, mas para isso, é preciso que sejam seguidos rigorosamente as recomendações de seus fabricantes, que vão desde sua operação, manutenção, até controle. “Para a escolha destes equipamentos é necessário um estudo técnico bastante detalhado, que envolve profissionais das diversas áreas da engenharia. A Bourbon possui um grupo de consultores técnicos altamente qualificados e com expertise, que avaliam as características funcionais e operacionais, pesquisam o que há de melhor no mercado e depois fazer o dimensionamento e escolha dos equipamentos. Os cuidados com estes equipamentos é que vão garantir a segurança na funcionalidade do resort, garantindo o conforto e a higiene, banho com água na temperatura e quantidade de conforto, ar condicionado e água da piscina na temperatura de conforto. As manutenções de valores mais significativos são as manutenções corretivas, quando necessárias em elevadores e geradores de energia, por se tratarem de equipamentos que requerem peças específicas e mão de obra altamente especializada”, pontua o Gerente Geral do Bourbon Atibaia.

Para ele, um plano de manutenção eficiente proporciona uma série de benefícios para o estabelecimento como otimização da vida útil das instalações e equipamentos, redução de custos com a operação, aumento da disponibilidade de apartamentos e operação eficaz, resultando na satisfação dos clientes e gerando boa imagem para o empreendimento. “Para se ter um plano de manutenção eficiente é necessário que o gestor de manutenção tenha pleno conhecimento do empreendimento, seus equipamentos e instalações, de forma a estabelecer uma estratégia de manutenção. Além disso, é necessário que o empreendimento disponibilize equipe adequada, tanto em quantidade quanto em conhecimento técnico e verba adequada destinada a manutenção do empreendimento, que pode variar de 0,5 a 3,0% da receita bruta mensal. Acredito que esta porcentagem deva caminhar junto com o plano de manutenção”, elenca Bernal.

Sistema próprio de manutenção
Com 301 apartamentos, o Sofitel Guarujá Jequitimar Resort, no litoral Sul paulista, segue uma série de normas e padrões pré-estabelecidos pela rede Accorhotels para manter a qualidade na entrega de seus serviços, que são voltados para um público bastante exigente. O hotel passa por uma auditoria técnica programada anual e todos os componentes do suporte técnico predial possuem programações específicas de manutenção, com frequências variando em função de suas características e utilização. Isso é feito por empresas especializadas em cada perfil técnico ou pelas próprias fabricantes dos equipamentos ou sistemas.

Segundo Luis Fernando Matos dos Santos, Gerente de Manutenção do Sofitel Guarujá Jequitimar, o empreendimento trabalha com o sistema chamado PMP da Accor, da parte corporativa. “Em média, a manutenção programada de sistemas importantes como o ar condicionado, os geradores , elevadores e de circulação de água, entre outros, são mensais. Algumas rotinas são atendidas por técnicos residentes e outras sob escala. Todos os contratos especializados da programação de manutenção via PMP são terceirizados”, explica o Gerente. As rotinas de atuação no resort possuem segmentação técnica, como: a) Sistemas HVAC – Heating, ventilation and air conditioning – Com direcionamento técnico via PMOC (Plano de Manutenção Operação e Controle); b) Grupos Geradores – Programação Power Systems CAT; c) Elevadores – Programação Técnica OTIS.

O Sofitel Guarujá Jequitimar (SP) passa por vistorias técnicas mensais e anuais, padronizadas pela AccorHotels
O Sofitel Guarujá Jequitimar (SP) passa por vistorias técnicas mensais e anuais, padronizadas pela AccorHotels

Luis Fernando aponta ainda que, referente à manutenção, especialmente pela verificação e confirmação da qualidade dos componentes de reposição, outro procedimento refere-se à correta operação dos sistemas e equipamentos. Para ele, um produto de qualidade pode ser determinante para definir quantas manutenções são feitas. “Um projeto corretamente dimensionado, com as indicações de produtos de conhecida performance e com desempenho técnico que permita uma menor interferência futura em manutenção resulta em benefício para toda a cadeia de entrega da UN, desde às programações de manutenção e despesas inerentes. Os cuidados com este tipo de equipamento, tanto sob a visão do cliente final como em relação aos custos para o hotel, são de total importância, pois são parte do básico do produto hoteleiro, que é a entrega predial, com impacto direto aos hóspedes pela indisponibilidades de espaços e serviços pela falta de itens”, comenta, ressaltando que em relação aos custos, uma programação bem seguida propicia menores interferências corretivas e um custo associado bem maior que a prevenção, que gira em torno de 3% da receita líquida.

folder-tekna-2

Manutenção Predial Integrada
Para auxiliar na administração, proporcionando um gerenciamento de forma eficiente, com uma melhor organização dos documentos e informações do Departamento de Manutenção, o Grupo Nobile Hotéis utiliza o programa MPI – Manutenção Predial Integrada, que abrange processos como solicitação de serviço, controle de consumo de água, energia elétrica e gás, controle de estoque, ferramentas, equipamentos, relatórios, programas preventivos e outros controles.

De acordo com Luiz Cláudio de Oliveira, Diretor de Patrimônio do Grupo Nobile, os empreendimentos administrados pelo Grupo possuem uma equipe enxuta, multifuncional e treinada para atuar nas áreas onde possam ocorrer problemas ou falhas, como também fazer a checagem básica nos equipamentos, conforme o plano de manutenção onde constam as periodicidades de verificações. Essas checagens, necessárias ao bom funcionamento dos equipamentos, constam de vários itens e controles e dependem de cada empreendimento ou equipamento.
Independentemente do tipo de hotel, a manutenção dos equipamentos de grande porte, como gerador de água quente, gerador de energia, elevadores, bombas em geral e central de ar condicionado é realizada nos hotéis da Nobile por empresas terceirizadas, constando do plano de manutenção de cada empreendimento todas as ações e periodicidades das preventivas, com o acompanhamento e a supervisão de cada responsável da área de manutenção em cada empreendimento.

O MPI serve também como facilitador na gestão do Departamento quanto ao acompanhamento de contratos de prestação de serviços públicos ou privados. “Esse sistema dispõe de um módulo para o PMOC – Plano de Manutenção, Operação e Controle -, exigido na Portaria 3.523/MS. Nele são estipulados os prazos em que as verificações e correções técnicas deverão ser executadas em cada equipamento de Climatização, Ventilação e Exaustão. Dessa forma, por meio do módulo, pode-se fazer as programações e o cadastro das máquinas e equipamentos com as atividades periódicas preventivas”, explica Luiz.

Em todos os empreendimentos administrados pelo Grupo são realizadas periodicamente uma vistoria tendo como objetivo a verificação “in loco” das ações preventivas e corretivas, e a atuação da equipe na gestão da manutenção. Essa visita é realizada a cada quatro meses e consiste na verificação do funcionamento dos equipamentos, instalações e sistema em geral, bem como a conservação da edificação e o cumprimento da norma NBR – 5674 – Manutenção de Edificações, com base na norma NBR – 14037 – Manual de Operações – uso e manutenção das Edificações e Manuais da Rede.

 Suíte do Tryp by  Wyndham Ribeirão  Preto, um dos hotéis geridos pela Nobile
Suíte do Tryp by Wyndham Ribeirão Preto, um dos hotéis geridos pela Nobile

O Diretor de Patrimônio do grupo também explica que a vida útil de um equipamento, já estimada pelo fabricante (em meses ou anos), é iniciada no momento que entra em operação. Entretanto, para que o equipamento possa cumprir a funcionalidade para qual foi projetado e atingir a vida útil estimada, é necessário que haja um plano de manutenção adequado e observar alguns fatores que possam prejudicar sua vida útil, como por exemplo: intempéries da natureza e maresia nas regiões litorâneas. Nesses casos, devem ser previstos uma proteção maior do equipamento com a intervenção de manutenções preventivas em menor periodicidade. “Seja qual for o produto de qualidade, quem vai determinar quantas manutenções são necessárias é o fabricante, que é inserido no MPI, o plano de manutenção com as rotinas que podem ser com maior periodicidade ou não. Para escolha de um equipamento são levados em consideração o custo e o benefício, assim como outros critérios importantes, por exemplo: adquirir sistema de ar condicionado com o sistema inverte e proteção Gold -Fin (anti corrosão), utilizados em áreas litorâneas; bombas de recalque com partidas com inversor de frequência e fator de potência adequados, que diminuem o custo de energia, não sobrecarregando o sistema elétrico; na aquisição de aquecedores e geradores de água quente, adquirir equipamento com nova tecnologia, com maior vida útil e menor custo energético para operação”, assegura o Diretor, mencionando também que os valores que envolvem a gestão de manutenção própria giram em torno de 12% do orçamento e com empresas terceirizadas, em 27%.

A Nobile adota na gestão da manutenção dos empreendimentos Inspeções periódicas; Plano de manutenção; Software de gestão de Manutenção – MPI. Todas estas ações são acompanhadas pelo Departamento de Manutenção de cada empreendimento, sob a supervisão do Departamento Técnico Corporativo do Grupo e anualmente são feitos investimentos específicos, planejados e incluídos no CAPEX (despesas de capital ou investimento em bens de capital), como substituição ou aquisição de novos equipamentos.

roddex_v2
Primeiros 120 dias
Ainda que a maioria dos hotéis tenham sua própria equipe de manutenção, muitos deles também contratam este serviço, principalmente para os equipamentos de grande porte que necessitam de conhecimento técnico para revisões e reparos. Para as empresas que realizam estes serviços, o setor hoteleiro faz parte de um nicho de mercado que exige maior atenção e qualidade, considerando que existem dois tipos de clientes envolvidos: o próprio gestor e o hóspede.

A empresa Tekna Engenharia realiza trabalhos para todo o mercado corporativo, contudo, delimita sua força de trabalho aos segmentos mais exigentes como este. Ela atua com implantação e manutenção de sistemas de instalações mecânicas e especiais (ar condicionado, ventilação/exaustão, pressurização e detecção e combate a incêndio).

A Tekna Engenharia possui sua própria frota de caminhões para transporte dos equipamentos
A Tekna Engenharia possui sua própria frota de caminhões para transporte dos equipamentos

De acordo com Gian Formenton, Diretor da empresa, a rede hoteleira tem utilizado em seus projetos equipamentos de pequeno e grande porte e o grande desafio é sempre realizar as rotinas estabelecidas, de forma a manter os equipamentos em funcionamento com 100% de sua capacidade. “Garantindo que os equipamentos estejam sempre em pleno funcionamento, o reflexo no custo operacional é significativo. Os primeiros 120 dias após a implantação de um sistema são cruciais para se diagnosticar e estabelecer as necessidades especificas de cada rotina. Após esse período, com um plano de manutenção elaborado de maneira assertiva, é necessário que sejam feitas intervenções de manutenções preditivas e preventivas. De maneira programada e sistêmica, as intervenções geram menor impacto na operação do empreendimento se comparadas às manutenções corretivas”, explica Formenton.

Para atuar com segurança e de acordo com requisitos normativos em relação aos sistemas de climatização e ventilação, as principais normas seguidas são:
• NBR 14679 (Sistemas de condicionamento de ar e ventilação — Execução de serviços de higienização);
• NBR 16401 (Instalações de ar-condicionado – Sistemas centrais e unitários)
• Portaria nº. 3.523, de 28 de agosto de 1998, que contém medidas básicas referentes aos procedimentos de verificação visual do estado de limpeza, remoção de sujidades por métodos físicos e manutenção do estado de integridade e eficiência dos componentes dos sistemas de climatização;
• Resolução RE nº. 9, de 16 de janeiro de 2003, que trata de padrões referenciais de qualidade de ar interior em ambientes de uso público e coletivo, climatizados artificialmente;
• Boas práticas aplicadas e embasadas em algumas normativas de entidades internacionais como SMACNA, ASHRAE, AHRI.

Cada sistema possui suas normas específicas e é atendendo a cada uma delas que a Tekna Engenharia atua. “Por exemplo, sistemas de exaustão de cozinhas profissionais devem atender a NBR 14518. Já sistemas de Detecção e combate a Incêndio são regulamentados pela NBR 17240, além de seguirem o que determinam as Instruções Técnicas do Corpo de Bombeiros do Estado correspondente”, menciona o Diretor. Ele afirma que aumentar a vida útil dos equipamentos é um dos principais objetivos de um plano de manutenção adequado. Com isso, além dos equipamentos estarem aptos ao uso, sem nenhum tipo de risco ao usuário, estará operando com menor custo operacional ao longo de toda sua vida útil. Para isso, é preciso identificar as necessidades de cada empreendimento, avaliando os equipamentos e a operação de cada um deles; estabelecer uma rotina assertiva de manutenções preditivas e preventivas; seguir rigorosamente as rotinas estabelecidas; manter equipe atualizada e treinada e manter o histórico de intervenções dos equipamentos.

Formenton assegura que os clientes corporativos estão mais atualizados com a necessidade de se ter um trabalho bem executado e tem convicção dos frutos colhidos. “A grande maioria têm absorvido o fato de que a manutenção deixou de ser tratado como gasto e passou a ser visto como um investimento por parte das empresas. A qualidade do ar e o conforto ao usuário, a confiabilidade do sistema, o reflexo no custo operacional, a conservação do patrimônio, são alguns dos resultados que aqueles que investem nos processos de manutenção adequados têm encontrado. Essa é a forma de gestão que proporcionamos aos nossos clientes”, pontuou o Diretor.

Plantão 24h
Imagine que seu hotel está com 100% de ocupação em plena alta temporada e de repente, ocorre uma falha na central de ar condicionado ou no aquecedor de água no meio do dia ou na madrugada, interrompendo banhos ou tornando a suíte uma verdadeira sauna. Certamente, o telefone da recepção não pararia de tocar, até que o problema fosse resolvido. Nessa situação hipotética, a equipe de manutenção poderia estar treinada para resolver o problema, mas nem sempre isso acontece. Neste caso, ter uma equipe que resolverá o problema a qualquer hora do dia é o ideal.

A implantação de um grupo gerador pode gerar economias de até 40% na conta de energia, onde é possível pagar o investimento com a própria economia, dependendo da modalidade contratada junto a concessionária. Para clientes onde sua operação é standby, pode amenizar perdas incalculáveis, pois evita hóspedes presos em elevadores, desconforto em hospedagens, falta de água, segurança, entre outras situações que faria o hóspede trocar o hotel e ainda solicitar reembolsos, ou ainda mover processos.

A MP Gen realiza retrofit de grupos geradores
A MP Gen realiza retrofit de grupos geradores

Com serviço disponível 24h por dia, sete dias por semana, a MP Gen realiza além de venda de grupos geradores, manutenções preventivas e corretivas em grupos geradores; retrofits de grupos geradores; filtragem e tratamento de diesel; montagens de painéis e infraestruturas e fornecimento de peças de reposição.

Ricardo Dinelli, Diretor da empresa, explica que a manutenção segue os procedimentos recomendados pelos fabricantes dos equipamentos e conforme o plano de manutenção elaborado de acordo com as necessidades de cada equipamento. Os controles são feitos através do check list de manutenção e as informações coletadas são cadastradas em um software de manutenção que sinaliza as atividades para as próximas manutenções, seguindo as normas de segurança NR 10, NR 18 e NR 35.

Dinelli afirma que desde o projeto, instalação e pós instalação as atenções são muitas, desde aterramento, distribuição das cargas, tanque de combustível de fácil manutenção, combustível de boa procedência, revisões periódicas, peças e lubrificante de boa qualidade, aplicação do plano de manutenção recomendado entre outros procedimentos são fundamentais ao bom funcionamento do equipamento. “Antes de tudo, é importante ressaltar que fazer a manutenção adequada do Grupo Gerador, ou qualquer outro sistema eletro-mecânico, significa economizar, reduzir perdas. A garantia de funcionamento de um Grupo Gerador, nas horas mais difíceis, depende essencialmente da execução do Programa de Manutenção Preventiva, indicado por cada fabricante. Um contrato de Manutenção Preventiva Mensal é a escolha de menor custo, para garantir que o equipamento funcione adequadamente, a qualquer tempo; Emissão de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) junto ao CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia; contar com um Plantão Técnico, 24h por dia, 7 dias por semana; preservar a vida útil do equipamento e minimizar o custo de depreciação normal do equipamento, pelo melhor estado de conservação e consequente valor de revenda”, alerta o diretor da MP Gen, que atua desde 1995.

A MP Gen já instalou grupos geradores em prédios com mais de 20 andares como no antigo Hotel Meridien, no Hotel Marina Palace e Marina All Suites, entre outros. A empresa realizou desde o projeto de engenharia à construção e montagem de estruturas metálicas que suportassem o peso e o trabalho do Grupo Gerador, assim como estudo de impacto ambiental. “A MP Gen é pioneira na montagem de Usinas de Geração de Energia, composta por quatro ou mais Geradores, “empilhados em prateleiras”, o que economiza até 50% do espaço necessário. Ainda é uma solução para poucos, dado a complexidade técnica. Recentemente, a empresa inaugurou seu showroom para atender as necessidades de mais clientes”, acrescentou Ricardo Dinelli.

mpgen

Software de manutenção
Para evitar surpresas ruins durante a estadia do hóspede e os possíveis prejuízos que elas possam acarretar, o melhor é ter a manutenção preventiva tratada de forma séria e efetiva. Todas as diversas frentes de trabalho de um hotel — governança, recepção, guest relations e restaurante, por exemplo —, precisam estar trabalhando de forma integrada e um software de manutenção predial pode se mostrar a solução ideal para organizar as frentes de trabalho, garantindo a satisfação dos hóspedes.

O software Leankeep Hotel é simples de operar e atua no planejamento e no controle predial do hotel ou rede ajudando a reduzir gastos e custos operacionais de forma virtual. Suas funcionalidades facilitam o controle de sistemas como ar condicionado, iluminação, hidráulica, elétrica entre outros, além de organizar a agenda de trabalho de diversas equipes, tornando as respostas aos chamados muito mais rápidas e eficientes.

A abertura de ocorrências, por exemplo, fica centralizada e pode ser feita diretamente por tablet ou celular sem necessidade de conexão com a internet, agilizando a solução. O cadastro de áreas, equipamento e sistemas permite organizar a manutenção planejada e a corretiva de forma mais eficaz, antecipando e evitando possíveis falhas. Até os fornecedores podem ter acesso e acompanhar os serviços que precisam executar ou materiais que precisam fornecer.

O Leankeep também produz diversos tipos de relatórios que evidenciam indicadores para ajudar na tomada de decisões estratégicas. Acompanhando gastos e consumos, o software acaba ajudando a gerar economia no empreendimento. As vantagens do software são perceptíveis assim que o cliente começa a entender e desfrutar completamente de todas as funcionalidades. Com alta capacidade de adaptação, o Leankeep Hotel atua em diversas frentes.

O software da Leankeep permite o controle de sistemas como ar condicionado, iluminação, hidráulica, elétrica, entre outros
O software da Leankeep permite o controle de sistemas como ar condicionado, iluminação, hidráulica, elétrica, entre outros

A gestão diária fica menos complicada, avisos, relatórios e alarmes podem ser criados para acompanhar o andamento das atividades e até a emissão do PMOC é facilitada, podendo ser feita em apenas um clique. “Antes do Leankeep, a manutenção era vista aqui como vilã. Ninguém achava que ela poderia gerar renda. Mas, na verdade, o software gera economia para a empresa porque evidencia o que não foi consertado, quantas vezes um equipamento estragou, quais setores são mais descuidados”, comenta Aguinaldo Godói, gerente corporativo de Manutenção da Rede Plaza Hotéis, cliente do Leankeep há sete anos.


Já a rede hoteleira BHG – Brazilian Hospitality Group tem usado o software para gerenciar melhor os indicadores das equipes de manutenção e ter um controle maior e mais eficaz sobre as ocorrências. “Com os indicadores de gestão proporcionados pelo Leankeep passamos a medir o desempenho das equipes de várias formas e, assim, atacar melhor os pontos de falhas”, conta Jorge Leonardo Villardo Martins, coordenador de Projetos da BHG.

Para comprovar a versatilidade e adaptabilidade do software, a rede de hotéis Deville destaca ainda um terceiro exemplo de benefício: “Antes do Leankeep, os diversos departamentos do hotel solicitavam a manutenção verbalmente e muitas vezes os chamados eram esquecidos, gerando conflitos. Hoje temos a ferramenta para registro das necessidades de cada um”, relata Edenilson Guedes, supervisor de manutenção e patrimônio da rede. A gestão otimizada proporcionada pelo Leankeep Hotel se reflete no ativo principal deste tipo de empreendimento. O hotel atende melhor as necessidades dos clientes, que saem mais satisfeitos e deixam reviews mais positivos, fomentando o retorno e as novas oportunidades.

Capacitação para hotelaria
Ainda que os equipamentos de grande porte sejam invisíveis aos hóspedes, o resultado da manutenção dos mesmos atinge este público diretamente. Tratando-se de clientes diferenciados, se comparado com uma indústria, por exemplo, a MAC Engenharia realiza um treinamento específico com toda sua equipe, que tem no Brasil cerca de 1.000 funcionários, para oferecer um serviço diferenciado e personalizado a este nicho.

A empresa atua com manutenção preventiva e corretiva de centrais de ar condicionado, parte hidráulica, elétrica, bombas de piscina e geradores e realiza mais de 30 horas de treinamento técnico e comportamental por ano com seus funcionários, adequado por região do País.

Segundo Raimundo Dunezeu, Diretor Executivo da empresa, toda prestadora de serviços para hotelaria deve adaptar seu know how à especificidade do cliente, e por isso, investe mais em profissionais e na relação com este público. “Temos técnicos atualizados pelas mais modernas técnicas de prestação de serviços, que permitem agilidade na solução dos problemas técnicos e deixamos à disposição da equipe todo equipamento e ferramentas necessárias. Em hotelaria o cliente não espera a solução do problema, ele vai embora. As empresas tem que ter a solução, para todos os problemas dos equipamentos que estão sob sua responsabilidade, com equipes próprias ou parceiros confiáveis”, disserta o Diretor.


A MAC Engenharia também conta com softwares desenvolvidos para hotelaria, onde são controladas todas as demandas, de acordo com o perfil e disponibilidade do hotel (controle do processo). A empresa é uma das poucas no ramo que possuem o ISO 9000 há mais de 10 anos, e em janeiro de 2017 deve receber as certificações ISO 14000, que é constituído por uma série de normas que determinam diretrizes para garantir que a empresa pratique a gestão ambiental; e 18000, que permite uma empresa atingir e sistematicamente controlar e melhorar o nível dodesempenho da Saúde e Segurança do Trabalho por ela mesma estabelecido, padronizando os serviços em todo o País.

A preocupação do hoteleiro é com a ocupação do hotel, satisfação do cliente e sua rentabilidade. Para Dunezeu, as atividades secundárias primordiais para o sucesso da operação devem ser tratadas por empresas que tem experiência em manutenção em hotéis. “Temos que achar o equilíbrio entre o custo operacional e a rentabilidade do hotel. As rotinas de manutenção têm que ser executadas prioritariamente. As empresas especializadas devem conscientizar os gestores (clientes) de sua importância, para segurança operacional do hotel. Nós do Grupo MAC, temos uma experiência grande em manutenção de hotéis (mais de 20 anos) e uma equipe treinada em todas as disciplinas que envolve a manutenção de hotéis. Possuímos hoje mais de 50 engenheiros especializados, além de técnicos e outros profissionais ligados a essa área. Somos autorizados dos principais fabricantes de equipamentos para hotel e uma rede de parcerias, que nos credencia a prestar serviços para grandes redes”, pontua o Diretor.

Raimundo Dunezeu –  “As empresas especializadas devem conscientizar  os gestores de sua importância, para segurança operacional do hotel”
Raimundo Dunezeu –
“As empresas especializadas devem conscientizar
os gestores de sua importância, para segurança operacional do hotel”

Em suas duas décadas de serviços prestados, os principais problemas encontrados nos hotéis pela empresa, segundo seu Diretor, se resumem à falta de planejamento e conhecimentos técnicos dos equipamentos e a falta de planejamento e controle das atividades de manutenção, principalmente dos itens críticos.

Em relação ao meio ambiente, Dunezeu pontua que as empresas devem ter em seus processos produtivos o controle, do rejeito de suas atividades dando o destino final correto. “Nós temos todas nossas atividades o controle de nossos rejeitos, além de trabalhar fortemente na conscientização de nossos colaboradores. Procuramos utilizar tecnologia limpa em nossos processos, além de recomentar em nossos processos equipamentos que tenham tecnologia limpa, com menor impacto ao meio ambiente”, afirma.

SHARE