HOME Matérias Trade Recife (PE) ganha circuito de música instrumental

Recife (PE) ganha circuito de música instrumental

56
0
SHARE
Circuito busca renovação da música instrumental - Foto: Divulgação

Este ano, acontece no Recife (PE) um espaço voltado para a música: o circuito Aurora Instrumental. Ele acontecerá no Teatro Arraial Ariano Suassuna e conta com 20 espetáculos divididos em duas temporadas. O evento é promovido pela seleção pública do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), e a primeira temporada será de 18 de abril a 20 de junho, sempre às quartas-feiras, a partir das 19h30, com ingressos a preços populares.

A abertura será feita pelo Spok Quinteto, grupo fundado pelo maestro Spok. Com um espetáculo mais intimista, a equipe executa frevos, caboclinhos e cirandas. O diretor Artístico e Musical do Aurora Instrumental, Gilú Amaral também é percussionista, produtor e compositor. Gilú também mostrará no circuito o seu trabalho com referências regionais e étnicas de diferentes partes do mundo.

Zé da Flauta, outro artista com trabalho já consolidado, vai apresentar um show autoral do seu último disco, no qual insere a flauta no rock’n’roll psicodélico. A programação também conta com jovens talentos da música instrumental como o Henrique Albino Trio e Amaro Freitas Trio. O pianista Amaro Freitas é uma das grandes revelações da música instrumental, ao tocar jazz com influências da música pernambucana, e vem se destacando no cenário nacional, recebendo premiações. “Nessa primeira edição, a gente concentrou a programação em Pernambuco. Mas a proposta do Aurora é levar o circuito para outros lugares, e a grade também vai aos poucos abrir para músicos de outros estados e internacionais, e promover esse intercâmbio”, explica Gilú Amaral.

Na primeira temporada, o público verá a apresentação do músico ‘das cordas’ Hugo Linns. Ele levará a escola da viola para o palco do Aurora. Um dos nomes mais importantes do violão popular em Pernambuco, Vinícius Sarmento, fará um show solo. Depois de uma pausa de três anos no palco, a banda Rivotrill se apresenta e é considerada uma das atrações mais esperadas. O grupo Quartetubas, que conta com quatro músicos tocando tubas, como o nome sugere, é uma aposta da curadoria do Aurora Instrumental que também busca abrir espaço para bandas novas.

Para encerrar a primeira temporada, a programação guardou um show de Anderson do Pife e a Banda Zé do Estado, grupo representante da música instrumental regionalista, e que defende a tradição do pífano.

O produtor executivo do Aurora Instrumental, Félix Aureliano que, junto com Gilú Amaral, é responsável pela idealização e curadoria do circuito de música instrumental, afirma que a intenção do evento é “fortalecer o consumo da música instrumental em Pernambuco e possibilitar o contato do público com profissionais altamente qualificados, que fazem arte com música”, informa.