HOME Matérias Opinião Os principais custos da hotelaria: como controlá-los e manter a operação sustentável

Os principais custos da hotelaria: como controlá-los e manter a operação sustentável

451
0
SHARE
Manuel Suarez, presidente do Sindicato Intermunicipal de Hotelaria do Rio Grande do Sul Sindihotel (RS) - Crédito: Divulgação

Artigo de Manuel Suarez*

A gestão de um hotel, como a de qualquer empreendimento, envolve custos recorrentes, e alguns deles, bem significativos, por isso a importância de ter um controle minucioso sobre cada um. Em diversos casos é sim possível uma redução desses custos, gerando uma importante economia para o hotel, porém isso não pode, de forma alguma, comprometer a excelência do serviço.

Os principais custos da hotelaria são: salários com encargos, impostos, contas de luz, gás, água e telefone, contratos de manutenção, comissões de agências e taxas de cartões. Alguns deles são imutáveis, porém outros podem ser alterados. Para identificar a importância de cada um deles, divide-se o valor mensal do custo pelo número de apartamentos vendidos. Agora, organize os gastos – do maior ao menor valor -, e analise formas de reduzir aqueles que estão em excesso.

Sabe-se que um hotel está equilibrado financeiramente quando a sua receita-despesa atinge, no mínimo, 35% da ocupação. Porém, atenção, até aqui o empresário não obteve lucro, e nem investiu em melhorias em suas instalações. Para reduzir custos sem afetar a qualidade dos serviços prestados, recomenda-se observar e ouvir o cliente, eliminando o que ele não usa e substituindo por coisas que ele manifesta interesse, oferecendo apenas o que for realmente útil.

Uma alternativa para reduzir custos com equipe é investir em treinamentos. Dessa forma, os colaboradores desempenham suas funções de maneira mais completa e qualificada, o que torna possível trabalhar com uma equipe mais enxuta, além de reduzir a rotatividade de pessoal. Já nos gastos com energia, uma das mais significativas na hotelaria, uma ótima alternativa são as placas fotovoltaicas. Além disso, as iluminações de LED, os sensores de presença e a modernização dos sistemas de tração dos elevadores reduzem bastante o consumo. Outra dica para economizar com luz é substituir sistemas de ar-condicionado central por splits inverter.

Essas e outras atitudes, analisadas caso a caso, oferecem uma boa redução nos custos. Porém, o ideal é cada empresário fazer o seu controle, e, dessa forma, realizar as mudanças estratégicas que lhe tragam mais benefícios. Alimentar uma prática de revisão constante de todos os custos, evita gastos demasiados sem necessidade e torna possível investir com mais qualidade. Além disso, não esqueça de manter o foco nas vendas e na fidelização de clientes – pois esse é o principal pilar financeiro de sua empresa.

Manuel Suarez, presidente do Sindicato Intermunicipal de Hotelaria do Rio Grande do Sul (Sindihotel/RS). Contato: juliana.job@agenciaconvexo.com.br

SHARE