HOME Matérias Opinião OPINIÃO: Terceirização de mão de obra, vale a pena?

OPINIÃO: Terceirização de mão de obra, vale a pena?

1151
1
SHARE
Mario Cezar Nogales: "conhecimentos aqui apresentados não são apenas tecnicidades, mas sim vivência e experiência no ramo hoteleiro pelos quais eu passei" Foto: Yara Pezeta

*Mario Cezar Nogales

Quando pensamos em terceirização logo pensamos em redução de custo, não é verdade?

Mas observem o fato de que se você não consegue um resultado de custos baixos em algum setor de seu hotel, será que o terceirizado irá conseguir?

Um bom exemplo disto é a terceirização em massa do setor de Alimentos e Bebidas em um hotel localizado próximo a vários restaurantes, a desculpa que sempre encontro nestes hotéis é a de que não conseguem competir com os restaurantes locais pois em geral estes têm melhor serviço, maior público e melhor preço, logo, terceirizar os Alimentos e Bebidas é a melhor forma de reduzir custos. Se racionalizarmos por este tipo de pensamento de fato parece estar certo, mas este tipo de raciocínio demonstra que o hotel está se nivelando por baixo e escondendo sua real incompetência de gestão por desconhecimento ou mesmo preguiça de realizar o que é certo.

Hotéis existem para dar conforto e segurança para os hóspedes pois é uma guarida para viajantes que não podem dormir em suas casas e estão fora de seu ambiente, logo deixá-los para que se alimentem fora de seu meio de hospedagem não é cumprir com a razão de existência do negócio hotelaria que é de fato hospitalidade por completo. Afinal de contas, quando você se hospeda na casa de um amigo este o manda comer fora?

Neste exemplo de terceirização o que acontece na grande maioria dos casos são:

1)   O terceirizado abre suas portas para fora e tem competência suficiente para se manter no mercado e como seus hóspedes não o utilizam ele nem faz questão de atendê-los.

2)   O terceirizado, por conta do custo que o hotel lhe exige com relação ao café da manhã, não o serve de maneira com que atenda às necessidades e exigências de seus hóspedes o que transforma em um café da manhã apático.

3)   O terceirizado não tem competência suficiente para competir com o mercado o que acaba tornando-o um restaurante fraco e consecutivamente há troca constante de empresas para tal.

4)   Não há terceirizados interessados a prestar o serviço em seu meio de hospedagem, logo seu hotel fica sem Alimentos e Bebidas.

São vários exemplos que podemos citar com relação a terceirização a mão de obra em meios de hospedagem entre eles estão: a terceirização do restaurante, do café da manhã, do frigobar, da limpeza das áreas comuns, da equipe de recepção, da equipe de vendas e etc. o que nos faz surgir a seguinte pergunta: de fato vale a pena?

Como profissionais hoteleiros devemos sempre racionaliza o porquê seu hotel existe e qual a qualidade que você como gestor ou proprietário quer dar, o fundamento básico aqui é: os serviços que o hotel presta fundamentalmente é hospitalidade e por este motivo devemos prezar pela qualidade, treinamentos, capacidade intelectual, capacidade de eficiência (realizar o trabalho) e capacidade de eficácia (realizar em tempo) de todos os setores do hotel que sejam a raiz de sua existência. Logo terceirizar os serviços que são uma obrigação pela sua existência é deixar de administra com competência e escrever na memória de seu hotel que o hóspede não é importante.

O hotel deve ser competente o suficiente para atender os serviços que lhe cabem e estes são: hospedagem, arrumação, limpeza, higienização, controle, administração, alimentos e bebidas, conservação, marketing, comercial e organização de eventos (para aqueles hotéis que tem salas disponíveis para tal) todas as outras operações que não sejam fundamento da existência do meio de hospedagem podem e devem ser terceirizadas pois não afetam a operação direta do empreendimento.

Pontos que devemos analisar antes de pensar em terceirização:

1)   Os serviços ou setores que não afetam as operações.

Todos os serviços que não envolvam diretamente a hospitalidade de seu hotel e requeiram especializações que nos custariam muito caro que são:

  1. a)   Contabilidade, devido a exorbitante carga tributária e diferentes tributações existentes no país, inclui-se aqui até mesmo o departamento de pessoal.
  2. b)   Segurança, devido a que de fato a segurança é uma responsabilidade do estado, contudo envolvem certos aspectos de segurança patrimonial como combate a incêndio, emergências relativas a saúde, furtos e roubos dentro do empreendimento e em todos os casos requerem especializações que estão aquém do metiê da hospitalidade.
  3. c)   Extras, com os picos de sazonalidade que nem sempre se mantém seu empreendimento deve ter uma equipe base em todos os setores para a manutenção da ocupação média que atualmente gira em torno de 60%, contudo quando seu hotel está com a ocupação em 100% você pode contratar temporários ou mesmo uma empresa terceirizada que irá auxiliar a sua equipe base.

 

2)   Custos destas terceirizações

  1. a)   Equiparação, Devemos ter a compreensão aqui de que todas as funções têm equiparação salarial, logo, em geral a terceirização será mais cara do que sua equipe contratada porque a empresa que fará a terceirização repassará tudo para sua empresa o que inclui também seus ganhos. Somente as funções que seu meio de hospedagem não tem contratado como funcionário direto não terão estas equiparações salariais.
  2. b)   Classificação empresarial, com a adoção da carga tributária SIMPLES há várias regras a serem seguidas; aquelas empresas que não são cadastradas nesta modalidade tem uma carga direta na folha de pagamento próximas ao 114%, logo cada R$ 100,00 pagos ao colaborador outros R$ 114,00 são pagos em impostos, encargos e benefícios ficando o custo efetivo em R$ 214,00.

As empresas que são optantes pelo SIMPLES têm uma carga tributária e encargos próximos aos 74% logo o custo efetivo de cada R$ 100,00 pagos ficará em torno de R$ 174,00 ou seja, uma economia de 19%

Contratar cooperativas podem ser uma excelente opção devido a carga tributária e encargos sobre a folha que são menores dos 74% pois este tipo de empresas tem várias isenções, contudo as cooperativas devem cumprir vários regulamentos legais e deve-se ter todo o cuidado para que esta empresa esteja com todas as suas obrigações em dia.

 

3)   Grau de especialização

Em diversos casos pude observar que a empresa terceirizada não tem a menor ideia do que seja um hotel, não obstante os hotéis que terceirizam certas funções a empresas como esta acabam sofrendo com custos operacionais e até mesmo tributário devido ao seu grau de ineficiência. Exemplos disto há vários mas o que chama mais a atenção é o conhecimento contábil de contabilistas ou escritórios de contabilidade contratados; Hotéis por sua natureza prestam serviços e vendem produtos, logo deve estar cadastrado no município com o ISS e no estado com o ICMS e em diversos casos encontro meios de hospedagem operando com duas notas fiscais porque o escritório contábil não executou o cadastro para emissão de NOTA FISCAL CONJUGADA.

Antes da emissão fiscal eletrônica para este fim, o meio de hospedagem penava com um custo maior em gráfica já que deveria ter dois talões de notas fiscais, uma para o município (hospedagem e serviços) e outra para o estado (alimentos, bebidas e outros produtos); podemos encontrar algumas empresas que ainda operam assim em cidades pequenas já que o município ainda não fez acordo com o estado para a nota fiscal conjugada. Esta modalidade também aumenta o seu custo operacional já que o colaborador que irá emitir a nota fiscal deve fazer duas operações no lugar de uma o que demanda maior tempo de espera para o hóspede.

Também devo aqui demonstrar que na contratação de extras quando temos maior ocupação e em geral os colaboradores que nos são enviados não tem o grau de especialização de nossos próprios colaboradores o que podemos chamá-los de “verdes”, e estes quando inseridos em nosso quadro demandam maior tempo de produção já que estarão sendo treinados em tempo real na execução da arrumação, limpeza, lavanderia e etc. Logo, ao fazer algum acordo de terceirização para este tipo de inserção de colaboradores o treinamento antes da inserção deles junto aos colaboradores de seu hotel é obrigatório se quisermos manter nossos hóspedes satisfeitos.

Agora que temos este conhecimento podemos tratar de terceirização em meios de hospedagem de maneira clara e assertiva e já que seu meio de hospedagem deve cumprir a atender todas as necessidades de seus hóspedes fica fácil saber o que devemos ou não terceirizar lembrando sempre de que não devemos terceirar aqueles serviços que são o fundamento de seu hotel e terceirizar aqueles que usamos por pouco espaço de tempo ou aqueles os quais não somos e nem devemos ser especializados. Independentemente de qualquer legislação existente o que vale sempre é lembrar que seu meio de hospedagem existe para atender excelentemente bem o hóspede e suas exigências relativas à hospitalidade.

* Mario Cezar Nogales é Consultor em hotelaria e autor de cinco livros para o setor – Contato mario@snhotelaria.com.br

SHARE

1 COMENTÁRIO

  1. Além claro de que terceirização é sempre um tiro no pé. Se a empresa sumir e os funcionários provarem que só prestavam serviços para você? além do atestado claro de incompetência por parte de quem terceiriza. – Entra-se no que temos hoje em todo o serviço ou obra pública, fulanos diz que a responsabilidade é de sicrano, sicrano não é encontrado para comentar mas mandou nota por sua assessoria que a responsabilidade é de Beltrano – O beltrano diz que não sabe do que se trata enfim IRRESPONSABILIDADE E INCOMPETÊNCIA = Terceirização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image