HOME Matérias Aconteceu O papel do timeshare e da multipropriedade no Brasil é debatido no...

O papel do timeshare e da multipropriedade no Brasil é debatido no ADIT Hotel

87
0
SHARE
Gustavo Rezende, Diretor do Grupo GR foi o moderador desse painel

Com moderação de Gustavo Rezende, Diretor do Grupo GR, ocorreu há pouco a palestra de tema ‘Turismo compartilhado e a força da nova economia: o papel do timeshare e da multipropriedade no Brasil’ no ADIT Hotel, que acontece hoje, dia 5 de novembro, na capital paulista, e tem a revista Hotéis como Mídia Oficial. Os participantes foram Francisco Costa Neto, CEO do Grupo Rio Quente (Aviva) Murilo Pascoal, Diretor do Beach Park e Rafael Almeida, Diretor do Grupo Natos.

Rafael Almeida, do Grupo Natos, iniciou sua apresentação comentando sobre a Lei 10.287/2018, aprovada no CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados em caráter terminativo no último dia 31 de outubro, que dispõe sobre o regime jurídico da multipropriedade no Brasil, uma das principais alavancas no desenvolvimento de novos hotéis no País. Almeida enfatizou que a conquista se deu a um trabalho liderado pelo Secovi – SP, que atuou durante dois anos no desenvolvimento de soluções, o que culminou na elaboração de um anteprojeto, encaminhado ao Senador Wilder Morais posteriormente.

Francisco Costa Neto, CEO do Grupo Rio Quente foi um dos participantes desse painel

Dando sequência ao painel, Francisco Costa Neto falou sobre os três pilares de atuação da Aviva: fractional, multipropriedade e timeshare. A empresa faturou R$ 360 milhões somente com o conceito de tempo compartilhado, segundo o executivo. “Seja em multipropriedade ou em tempo compartilhado, o cliente quer se envolver num intercâmbio cultural de vários destinos, por isso notamos um crescimento desses segmentos no Brasil”, disse.

Murilo Paschoal, Diretor do Beach Park

Para Murilo Pascoal, do Beach Park, que trabalha há 12 anos com o Beach Park Vacation Club, a empresa conta hoje com, pelo menos, 20 mil famílias cadastradas e completou: “depois que o indivíduo efetua a compra, precisamos focar no pós-venda e prestar um serviço digno, a fim de garantir que ele continue com seu contrato”. Almeida enfatizou a importância de entregar ao cliente o que foi prometido. “Ele terá uma semana ou um pouco mais para permanecer no local, por isso criar atrativos no destino é fundamental. Não podemos vender só o quarto e esquecer do entorno. Férias envolvem muito mais questões do que apenas a hospedagem”.

Pascoal ressaltou como, até um tempo atrás, o empreendimento tinha um alto lucro durante as altas temporadas do ano, mas, nas baixas, a conta acabava não fechando. Para o executivo, os conceitos de timeshare e de multipropriedade vieram para ajudar o setor a equilibrar as finanças durante o ano, além de ser essencial para sustentar o setor hoteleiro em momentos de crise de um País.

Gustavo Rezende, Diretor do Grupo GR

O moderador Gustavo Rezende comentou sobre a geração millennials e Pascoal disse que o conceito de timeshare e multipropriedade vai de encontro às características dessa geração, que não quer ser proprietário, quer utilizar algo apenas durante um certo período de tempo. “Ao levar em consideração as preferências dos millennials vemos o potencial do mercado no Brasil.

Rafael Almeida, Diretor do Grupo Natos

Quando o assunto são as perspectivas do cenário econômico no Brasil, os quatro participantes do painel foram enfáticos: todos estão otimistas e acreditam que o ambiente político será favorável para o mercado de turismo daqui para a frente.