Nau Royal hotel recebeu encontro de concièrges do Les Clefs d´Or Brésil

Nau Royal hotel recebeu encontro de concièrges do Les Clefs d´Or Brésil

399
1
SHARE
Grupo de concierges que participaram hoje da reunião

Direto de São Sebastião – O Hotel Boutique localizado na praia de Camburi, em São Sebastião, Litoral Norte paulista, sediou hoje um encontro de concierges de renomados hotéis paulistanos membros do Les Clefs d´Or Brésil. Esta é a mais importante associação de concierges do mundo, criada em 1929 na França com o objetivo de debater temas e trocas de experiências dentro do turismo de luxo. Sérgio Sampê, do Renaissance São Paulo, Renata Farha, do Intercontinental São Paulo e Sérgio Bezerra de Menezes, do hotel Unique foram os membros associados que participaram. Além disto, teve presença dos seguintes concierges: Rafael Lolo, do Hilton São Paulo Morumbi; Georgia Cezar do hotel Fasano; Daniel Correa, do Blue Tree Verbo Divino, Barbara Pacomio e Samuel Campos, ambos do Hotel Unique. Eles foram recebidos pela concièrge do Nau Royal Hotel, Adriana Evangelista.

Renata Farha, que é Diretora regional em São Paulo do Les Clefs d´Or Brésil, começou a reunião destacando que a ética é a primícia básica que a entidade mais preza e destacou alguns atributos que são necessários para ser um membro associado. “É necessário ter no mínimo cinco anos de hotelaria, sendo dois de concierges, idade mínima de 21 anos, provas de conhecimento sobre Les Clefs d´Or, conhecimento geral da cidade em que trabalha, responder a simulação de um e-mail de um hóspede e de fundamental importância que compareça as reuniões mensais”, destacou Renata.

Os associados ao Les Clefs d´Or passam a utilizar as chaves em suas vestimentas que os identificam
Os associados ao Les Clefs d´Or passam a utilizar as chaves em suas vestimentas que os identificam

Merecido reconhecimento

Apesar da profissão de concierges ter sido criada na França em 1929 com o surgimento do Les Clefs d´Or, no Brasil ela ainda não ganhou o merecido reconhecimento e na cidade de São Paulo existem apenas sete membros atualmente e Renata explica a razão: “Existe uma rotatividade grande de profissionais que vão para outras áreas dentro e fora da hotelaria e pelo fato de não exercerem mais a profissão de concierges, não podem mais pertencer ao nosso quadro de associados. Não estamos preocupados em quantidade de associados, mas sim na qualidade e representação de cada um. Temos atualmente em análise e observância do trabalho de três candidatos que podem se associar a nós até o final deste ano, mas os critérios são rigorosos, pois existe uma grande responsabilidade no exercício desta profissão”, enfatiza Renata.

E quem detalhou alguns atributos desta profissão foi Sérgio Bezerra de Menezes. “Eu costumo utilizar muito a palavra facilitador para definir o papel do concierge num hotel. Ele é responsável para tornar a hospedagem mais agradável e criar novas experiências aos clientes. Ele tem uma responsabilidade grande quando indica alguma coisa, como por exemplo, um restaurante, um show musical ou mesmo um espetáculo teatral. Se o cliente não gostar, isto pode macular a experiência de hospedagem e até mesmo macular a imagem do hotel”, ressalta Menezes.

Ele comentou algumas situações que um concierge pode vivenciar num hotel. “Existem hóspedes que nos procuram para um simples conserto de um salto do sapato e de uma rodinha da mala que se soltou, para alugar um helicóptero ou mesmo uma limousine. Já vivi experiência que um hóspede quis impressionar a namorada e pedi-la em casamento e nos encomendou a compra de flores e chuva de pétalas de rosas numa serenata no lobby”, comenta.

Na foto, os concierges que participaram desta reunião ao lado de parceira comercial e do gerente e diretora do hotel Nau Royal
Na foto, os concierges que participaram desta reunião ao lado de parceira comercial e do gerente e diretora do hotel Nau Royal

Diferenças básicas

Para Sérgio Sampê, do hotel Renaissance São Paulo, a grande maioria dos hóspedes confundem o papel do concierge e acreditam que seja o mesmo que faz o mordomo e o guest relations, mas existem diferenças. “Basicamente o mordomo cuida do hóspede dentro do apartamento, o guest relations enquanto o hóspede estiver dentro do hotel e o concierge além de cuidar do hóspede nestes dois quesitos, cuida também fora do hotel”, explica Sampê.

Vários assuntos internos dos hotéis, que não podem ser divulgados, foram debatidos e Renata conclamou a todos a participarem nos próximos dias 28 e 29 de novembro da assembleia anual do Les Clefs d´Or Brésil. “Vai ser uma grande comemoração para festejar os 25 anos de nossa entidade e na ocasião será entrega as chaves para novos associados. O local ainda não foi definido, mas em breve divulgaremos”, concluiu Renata.

A reportagem da Revista Hotéis viaja a São Sebastião para cobrir esta reunião e se hospeda a convite do Nau Royal Hotel. Ele é membro da Brazilian Luxury Travel Association, Condé Nast Johansen e do Roteiros de Charme.

Trofeu 1
SHARE

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA


CAPTCHA Image
Reload Image