HOME Matérias Aconteceu Multipropriedade alavanca R$ 16 bilhões em investimentos no Brasil

Multipropriedade alavanca R$ 16 bilhões em investimentos no Brasil

Esse estudo elaborado pela Caio Calfat Real Estate Consulting acaba de ser divulgado na 6a edição do ADIT Share

177
0
SHARE
Esse é o mais recente Estudo de multipropriedade no Brasil

Direto de Ipojuca (PE) – Foi apresentado agora a pouco na 6a edição do ADIT Share, o mais importante evento sobre timeshare e multipropriedade do Brasil, que teve início agora a pouco Enotel Convention & Spa, um estudo elaborado pela Calfat Real Estate Consulting. O estudo mercadológico Cenário de Desenvolvimento de Multipropriedades no Brasil 2018 é fruto do cruzamento de informações do Banco de Dados da Caio Calfat Real Estate Consulting e de pesquisa junto aos agentes ligados ao setor de multipropriedades.

Caio Calfat: “O estudo mostra como o setor de multipropriedade está crescendo no Brasil”

O estudo foi elaborado sob a supervisão de Caio Sérgio Calfat Jacob e Alexandre Pereira Mota e teve como responsáveis técnicos Fernanda Nogueira e Fernando Campagna.
Quem fez a apresentação foi o Consultor Alexandre Mota e segundo ele, houve uma boa amostragem do mercado atual, as informações obtidas na integralidade dos questionários aplicados abrangem 62% dos empreendimentos listados. Os demais dados foram obtidos de forma parcial junto aos agentes de mercado e por pesquisas diretas da Equipe Caio Calfat.

Alexanadre Mota: “Houve uma boa amostragem do mercado atual, as informações obtidas na integralidade dos questionários aplicados abrangem 62% dos empreendimentos listados”

Os dados apresentados por ele, impressiona tendo em vista que em 2013 o número de empreendimentos era de apenas dois, em 2017 passou para 54 e nesta edição de 2018 chegou a 80, movimentando R$ 16 bilhões e foram destacados e considerados os empreendimentos que obedecem aos seguintes critérios:
• Em construção: Empreendimentos que possuam site de divulgação, fotos ou informações atualizadas do andamento da obra.
• Pronto: Empreendimentos que adotaram o sistema de fracionamento e que se encontram em operação.
• Em Lançamento: Empreendimentos lançados a mercado via site oficial ou divulgação, porém sem nenhuma informação divulgada sobre obra iniciada.
• Em Projeto: Empreendimentos ainda não lançados. “O levantamento destes dados provém do cruzamento de informações dos agentes entrevistados e da pesquisa da nossa consultoria”, lembrou Mota.

 

Distribuição da oferta por região

Segundo ele, a partir destes critérios, a pesquisa de 2017, em relação aos empreendimentos em projeto, foi readequada. Todos os dados divulgados são referentes a médias de mercado e podem sofrer alterações a qualquer momento.
Os dados recebidos não foram auditados, as informações estão sujeitas a imperfeições, variações e alterações que poderão modificar os resultados estimados neste estudo. O uso de qualquer informação deve ser utilizado com cautela e sobreaviso quanto aos riscos envolvidos.

A importância do turismo compartilhado no Brasil foi apresentado nesse estudo

Reflexões sobre o Turismo Residencial
A atividade turística envolve extensa cadeia de elementos que buscam atender às expectativas do turista no destino, com a oferta de produtos e serviços para atender suas necessidades. Segundo Mota, neste contexto, vale refletir sobre o papel da 2ª residência como parte integrante destas ofertas:
1) O turismo residencial gera empregos, impostos e renda a todas as atividades econômicas do destino. Os dois produtos – hotel e imobiliário-turístico – se integram e se complementam; na maioria dos casos, o comprador de uma residência de férias conheceu e frequentou o destino como hóspede, inicialmente.
1) É uma atividade indutora de desenvolvimento: enquanto hotéis, bares e restaurantes, lojas, transportes e praticamente todas as mais de 50 atividades da cadeia produtiva do turismo necessitam de fluxo de pessoas para se manterem ativas, a 2ª residência proporciona o desenvolvimento econômico do destino durante o ano inteiro.

3) Há vínculo do proprietário da 2ª residência com o destino: enquanto o turista esporádico possui relativa ligação com o destino além de suas expectativas de viagem, o turista de 2ª residência possui envolvimento pessoal e emocional e, não raramente, profissional com a localidade que escolheu.
4) Novas formas de 2ª residência: os hábitos de usufruto das férias vêm se aprimorando rapidamente nos últimos anos, a multipropriedade apresenta características que encantam e estimulam a compra: a oferta de serviços de manutenção e locação otimizam a utilização da residência; as despesas são reduzidas; há a motivação do intercâmbio com outros destinos do mundo; há a chance de se adquirir um imóvel de padrão mais alto; o uso por tempo limitado atende à agenda e à capacidade econômica do comprador; a necessidade de conservação e manutenção pode tornar o imóvel mais valioso com o passar do tempo e, finalmente, a adoção do conceito de compartilhamento, indicado como nova maneira de se usufruir qualquer bem ou serviço de forma organizada e com custos menores.

Dados gerais de vendas apontados nesse estudo

A Reportagem da Revista Hotéis está hospedada no Enotel Convention Spa Porto de Galinhas para cobrir esse evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image