HOME Matérias Mercado Investidores hoteleiros obtém lucro recorde no Brasil

Investidores hoteleiros obtém lucro recorde no Brasil

550
0
SHARE

Os resultados do setor hoteleiro no Brasil continuam positivos, e o país registrou aumento de dois dígitos nas diárias médias e crescimento recorde do índice RevPar em 2011.  O contínuo crescimento do RevPar aliado à eficiência nas operações hoteleiras levou a um lucro recorde de 36,5% no resultado operacional bruto dos hotéis, de acordo com a pesquisa bilíngue Hotelaria em Números – Brasil 2012, realizada anualmente pela Jones Lang LaSalle Hotels. Desde 2011, a pesquisa conta com a contribuição do FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil para estimular seus associados a responderem os questionários.

 

Segundo a pesquisa a taxa de ocupação cresceu 2,2% em 2011 no País, na comparação ano contra ano, percentual semelhante ao da taxa de crescimento real do PIB no ano em questão (2,7%).  A média de ocupação dos hotéis encerrou o ano próximo dos 70%. Além disso, proprietários e operadores de hotéis tiveram crescimento acelerado das diárias médias, de mais de 17,2% em 2011 em comparação com 2010, fazendo os hotéis urbanos registrarem a marca recorde de 20,5% de crescimento do índice RevPar. Nos cinco primeiros meses de 2012, as taxas de ocupação ficaram em níveis ligeiramente mais baixos do que no mesmo período de 2011, muito embora as diárias médias tenham registrado uma alta taxa de crescimento – na casa dos 17,5%.

 

Devido a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 e com o destacado desempenho e os altos lucros fizeram dos hotéis brasileiros uma atraente opção de investimento que oferece sólidos retornos.“As empresas já começaram a entrar no jogo, agarrando as melhores oportunidades de aquisição ou desenvolvimento no País, em função da demanda consistente e contínua. A Host Hotels & Resorts anunciou recentemente que planeja construir um hotel da bandeira Novotel de 150 quartos, e um hotel Ibis de 255 quartos no Rio de Janeiro, a menos de dois quilômetros do local onde os Jogos Olímpicos serão sediados. A Accor também adquiriu o portfólio sul-americano do Grupo Posadas, que engloba 11 hotéis no Brasil”, disse Ricardo Mader, Diretor da Jones Lang LaSalle Hotels para a América do Sul.

 

Na pesquisa os cerca de 10.000 hotéis existentes no País, que somam aproximadamente 500.000 quartos, hospedaram mais de 5,4 milhões de turistas estrangeiros em 2011, representando um crescimento de 5,8% na comparação com o ano anterior. O crescimento da oferta hoteleira nos próximos três anos está estimado em apenas 238 projetos de hotéis englobando 38.854 quartos. 

 

Além disso, a descentralização econômica resultou em novas oportunidades de construção de hotéis em cidades nas quais grandes projetos de infraestrutura – em setores como de mineração, gás e refinarias de petróleo – estão em andamento. Essas regiões são áreas-alvo para investimentos por estarem sub-atendidas em termos de hotéis de qualidade. “No Brasil, ainda há muito espaço para crescimento no setor hoteleiro, em especial fora das principais cidades. Diferentemente de outras cidades que foram sede da Copa do Mundo e das Olimpíadas, São Paulo e Rio de Janeiro devem absorver a oferta adicional com mais facilidade e manter a demanda por bastante tempo após o término desses eventos esportivos, devido a já antiga escassez de oferta nessas cidades”, acrescentou Manuela Gorni, Diretora da Jones Lang LaSalle Hotels no Brasil.

 

Também o crescimento contínuo da renda per capita do País resultou em aumento do volume de viagens de lazer, que representaram 21,3% do mix de mercado, ficando atrás somente das viagens de negócios. O segmento de resorts registrou a mais forte recuperação em 2011, atingindo 50% de ocupação e receita total por quarto ocupado de R$ 683. “De modo geral, os números do setor hoteleiro no Brasil permanecem com perspectivas extremamente positivas para o futuro. O afluxo de visitantes para os jogos internacionais nos próximos cinco anos deve impulsionar o mercado de transações no setor, que ainda se encontra subdesenvolvido no país, e empurrar as margens de lucro operacional ainda mais para cima”, conclui Clay Dickinson, Vice-presidente executivo da Jones Lang LaSalle Hotels e líder da divisão de Consultoria Estratégica e Gestão de Ativos para a América Latina.

 

Para mais informações sobre a pesquisa acesse o site: www.joneslanglasallehotels.com ou www.jllhss.com.

 

______________________________________________________________________________________________
Informação em tempo real!

· Facebook, clique aqui e curta a nossa página
· Twitter, seja nosso seguidor! www.twitter.com/revistahoteis 

__________________________________________________________________________________

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image