HOME Matérias Especial Fumar ou não fumar nos apartamentos dos hotéis: Eis a questão!!!

Fumar ou não fumar nos apartamentos dos hotéis: Eis a questão!!!

Com as restrições da lei antifumo os apartamentos dos hotéis se tornaram os últimos redutos dos fumantes, mas o cerco continua apertando e muitos hotéis resolveram radicalizar ao não aceitar fumantes o que já é uma tendência mundial

18911
8
SHARE

A lei antifumo que completa dois anos em vigor no estado de São Paulo este ano e que foi adotada por outras cidades e estados brasileiros, enfrentou muitas polêmicas quanto à proibição do fumo em ambientes coletivos principalmente de restaurantes, bares e hotéis. Muitos empresários desses estabelecimentos acreditavam que esse cerco fechado contra os fumantes, afugentasse ou até mesmo diminuísse o número de clientes e hóspedes e consequentemente amargariam com os prejuízos. Porém, como nas leis sempre existem algumas brechas, na lei antifumo não podia ser diferente, e um dos artigos é brando e permite o fumo nos apartamentos dos hotéis, já que são considerados íntimos dos clientes como nas suas próprias casas e, também a fiscalização nesses lugares ferem o direito à privacidade. Com essa abertura da lei, o segmento hoteleiro não teria tantos prejuízos e os fumantes poderiam fumar livremente nos apartamentos que são os últimos redutos de ambientes fechados. Mas será mesmo que os hotéis obtêm alguma vantagem permitindo o fumo nos apartamentos?

Como os apartamentos dos hotéis são os únicos lugares que restam para os hóspedes fumarem sem ser punidos, a equipe de governança dos hotéis possuem um trabalho a mais na higiene e sanitização dos locais, pois eliminar aquele incômodo cheiro da fumaça não é uma tarefa fácil e requer tempo e custos. Abrir portas e janelas para arejar ou mesmo aplicar um produto para seqüestrar odores, podem surtir efeito, mas dependendo do tempo de exposição, a ação não é suficiente. O ideal é que as cortinas sejam retiradas frequentemente para lavagem e substituídas e as poltronas e peças com revestimento também deverão ser higienizadas com maior cuidado. No caso do enxoval não há necessidade de um processo especial, a higienização é normal. Além desta preocupação com lavagem e higienização, existe o tempo que soa como custo, pois em vários hotéis existe uma quota mínima de apartamentos para uma única camareira  limpar e contratar mais funcionários nem sempre faz o orçamento bater no final do mês. Geralmente o número de camareiras varia de acordo com a categoria do hotel. Os de padrão executivo, a proporção é de uma camareira para 16 apartamentos. Nos hotéis de luxo, a proporção é de uma para cada grupo de nove a 12 apartamentos.
A Presidente da ABG – Associação Brasileira das Governantas e Profissionais da Hotelaria, Maria José Dantas, explica que em razão dos apartamentos serem os últimos redutos dos fumantes, de certa forma essa concentração tem gerado uma facilidade na logística da governança. “A quantidade de fumantes vem diminuindo, acho que as pessoas têm se preocupado mais com a saúde. Desde que a lei antifumo entrou em vigor, criou muita dificuldade para os fumantes, isso de certa forma, fez baixar o número de fumantes nos hotéis”, frisa Maria José.
Mesmo com essa diminuição do número de fumantes nos hotéis, a Presidente da entidade, que também presta serviço de consultoria e treinamento para vários hotéis, aponta que é muito comum ocorrer problemas com queimaduras provocadas por cigarro em produtos e equipamentos dos apartamentos, como no enxoval de cama, criados mudos, mobiliários e cortinas, e isso acaba gerando prejuízos e custos ao hotel. “Em alguns hotéis que presto consultoria tivemos peças muito caras do nosso enxoval queimadas assim como as mesas de centro ou de canto que são as preferidas para apoiar o cigarro aceso. Mas isso é muito comum quando os fumantes ocupam os apartamentos não-fumantes, pois estes não possuem cinzeiro. Alguns hotéis preferem correr este risco, pois dependendo da taxa de ocupação, o hóspede é informado pela recepção que o andar em que encontra seu apartamento é para não fumante, e que ali há restrições, e mesmo assim o hóspede fuma. Alguns descuidados acabam causando danos”, enfatiza Dantas.
Mesmo sem queimar móveis, objetos ou enxoval um hóspede fumante aumenta o custo da operação em um hotel.  As cortinas precisam ser lavadas com maior frequência. No caso de ter que bloquear o apartamento por causa do cheiro forte ou danos no mobiliário, há um impacto maior. Nem sempre a reposição de um material danificado é rápida e muitas vezes depende de marceneiro, aprovação de orçamento, do controller, entre outras variáveis. A implantação da política de 100% não fumante por alguns hotéis é muito boa e considerada uma tendência mundial, mas existe o risco de além de perder o hóspede fumante, assim como o não fumante. “Já me hospedei em hotéis que adotaram essa política de 100% não fumante e encontrei o meu apartamento com cheiro de tabaco. Vejo que o controle é muito difícil. É muito delicado você vigiar o que o hóspede faz dentro dos apartamentos, é quase uma invasão de privacidade. Uma outra solução menos drástica é os hotéis reservarem andares exclusivos para fumantes, pois dificilmente um não-fumante conseguiria ficar em um apartamento com cheiro de tabaco. Isso é um assunto muito sério para o hotel que necessita se posicionar de forma clara”, assegura Maria José.

Maria José: "A implantação da política de 100% não fumante por alguns hotéis é muito boa e considerada uma tendência mundial"
Maria José: “A implantação da política de 100% não fumante por alguns hotéis é muito boa e considerada uma tendência mundial”

Hotel exclusivo para não fumante
Foi isto que fez o hotel Grand Hyatt São Paulo que passou a adotar no início deste ano a política de hotel 100% antifumo e essa medida veio de encontro em oferecer um ambiente mais agradável e higiênico aos clientes. De acordo com o Diretor Comercial e de Marketing do Hotel, Silvio Araújo, a implantação desse conceito colocou o Grand Hyatt São Paulo em sintonia com a política global da companhia, que já adota a prática de hotel 100% antifumo em muitas regiões do mundo. “Acreditamos que isso vem de encontro ao desejo da sociedade, uma vez que é uma prática extensivamente apoiada também dentro de outros setores organizados da sociedade brasileira. É uma tendência que veio para firmar-se como algo definitivo e também uma demonstração de respeito com o hóspede que vai ocupar em seguida o apartamento”, frisa Araújo.
Outro ponto que Araújo, destaca sobre o fumo nos apartamentos é a questão da higiene. “É extremamente desagradável e anti-higiênico oferecer um apartamento com cheiro de cigarro a alguém que acaba de chegar de viagem e deseja um apartamento limpo e impecável e isto compromete totalmente a boa primeira impressão que queremos criar em nossos hóspedes e também a experiência como um todo”, completa Araújo.
Questionado sobre a receptividade dos hóspedes em relação ao novo conceito do hotel, Araújo, diz que “alguns hóspedes questionaram nossa iniciativa, mas tivemos muito mais comentários positivos do que negativos sobre a medida”.
Com relação à existência de alguma punição para o hóspede flagrado fumando em algum ambiente do hotel. Araújo explica, “O hóspede flagrado fumando em alguma dependência do empreendimento é imediatamente orientado pela divisão de hospedagem que não pode fumar. Abordagem é direta e explícita. Caso ele persista em não respeitar as regras, as despesas de limpeza e desodorização do apartamento correrão por conta dele e suas futuras reservas não mais serão aceitas. Vale lembrar que nosso hotel possui sistema de detecção de fumaça nos apartamentos que está calibrado para detectar o hóspede fumante”, conclui Araújo.
Se implantar esta medida num hotel padrão luxo pode causar controvérsia, o que dizer de um hotel padrão econômico que pertence a uma rede internacional.  O Gerente de  do Operações da marca Ibis da Accor, Francisco Sobrinho, explica que a rede Accor foi uma das primeiras no Brasil em adotar a política de hotéis 100% antifumo e que o Ibis Morumbi foi o primeiro hotel da rede a seguir esta política. Os critérios que a rede adota para implantar esse conceito é para cada dois hotéis da bandeira Ibis instaladas em uma capital ou região, uma é 100% não fumante. A única exceção da rede é o hotel Ibis, localizado na cidade mineira de Poços de Caldas, que entrou em operação recentemente e tem dado resultados muito satisfatórios com a relação aos clientes, que encontram agora um ambiente saudável e livre do odor do cigarro. Sobrinho ainda complementa que com essa experiência foi possível detectar que os clientes preferem um hotel 100% antifumo. Tendo em vista a satisfação dos hóspedes com a inserção desse novo conceito, Sobrinho assegura que a taxa de ocupação dos hotéis que adotaram a política de 100% antifumo não foi afetada, mas sim um aumento no contentamento por parte dos clientes que querem encontrar um apartamento higiênico e sanitizado corretamente.
E se um hóspede fumar dentro de um hotel Ibis 100% antifumo, o que acontece? “Ao fazer a reserva o hóspede é informado, assim como no check-in da recepção e comunicação em pontos estratégicos de que é proibido fumar em todos os ambientes do hotel. Caso o cliente seja flagrado fumando, nós orientamos ele que não é permitido, mas não punimos por essa atitude”, diz Sobrinho. Outro dado importante que ele destaca com a relação ao custo-benefício em adotar a medida, é que alguns utensílios e mobiliários dos apartamentos não precisam ser lavados com muita frequência, e isto acaba gerando diminuição nos gastos com produtos químicos e contribuindo com o meio ambiente. Além disso, houve uma queda na aquisição e manutenção dos mobiliários, e consequentemente menos incidentes causados pelo cigarro.

Silvio Araújo -  "O Grand Hyatt São Paulo é 100% antifumo e o hóspede que não respeitar as regras, as despesas de limpeza e desodorização do apartamento correrão por conta dele e suas futuras reservas não mais serão aceitas"

Silvio Araújo – “O Grand Hyatt São Paulo é 100% antifumo e o hóspede que não respeitar as regras, as despesas de limpeza e desodorização do apartamento correrão por conta dele e suas futuras reservas não mais serão aceitas”

Tecnologia para eliminar odores indesejados
Investir em tecnologia para eliminar odores indesejados de mofo e cigarro, assim como livrar o ambiente de ácaros e bactérias nocivas é uma boa solução para agradar hóspedes fumantes e não fumantes, assim como ter apartamentos disponíveis para reserva em qualquer período. Foi pensando nisto que o hotel Bourbon Alphaville numa postura inovadora adotou a desinfecção dos apartamentos por meio da nebulização a frio. Esse serviço é bastante eficiente, no combate as bactérias, ácaros e fungos e ainda protege, previne e conserva o local sanitizado. Outra vantagem é que não deixa resíduos, cheiro ou manchas e os apartamentos ficam totalmente hipoarlegênico, ou seja, o hóspede que se instalar nesse ambiente não terá nenhum tipo de alergia e não ficará exposto a organismos nocivos a saúde.  Além disso, a película protetora preserva e conserva as instalações, reduzindo custos com a manutenção e troca de cortinas, cúpulas de abajur, quadros, entre outros objetos.  Com esta ação, o Hotel Bourbon Alphaville se destaca no mercado e inicia um movimento no setor hoteleiro que aponta melhores índices de satisfação clientes/colaboradores e redução nos custos de manutenção.
Outra solução que foi apresentada recentemente ao mercado é a tinta higiênica que a Universo Tintas lançou para atender às necessidades dos hotéis terem ambientes cada vez mais higiênicos para receberem hóspedes com problemas de rinites, assim como facilitar a limpeza e manutenção, evitar proliferação de bactérias e tirar odores impregnados de fumaça de cigarro nas paredes. O produto possui em sua fórmula ions de prata que atuam como um campo eletromagnético, o qual repele os microorganismos da superfície, devido à diferença eletrostática entre a molécula (prata) e a parede celular. Este processo é certificado por rigorosas normas do Japão e garante 100% de proteção aos ambientes por no mínimo três anos. “O látex acrílico possui ótima resistência, o que permite uma fácil limpeza e após três horas de aplicação, não possui cheiro. O esmalte é ideal para superfícies de madeira, metais ferrosos e alvenaria. Como é diluível em água, proporciona baixo odor durante a aplicação e a secagem, estando disponível em acabamento brilhante. Já o expoxi é um produto de altíssima resistência e indicado para pinturas deterioradas por repetidas operações de limpeza, como em cozinhas de hotéis”, explica o Diretor comercial da empresa Ary Martinho Machado.

O Íbis Morumi foi o primeiro hotel da rede a adotar o conceito 100100% antifumo e com isto, os hóspedes não têm o inconveniente odor de cigarros nos apartamentos
O Íbis Morumi foi o primeiro hotel da rede a adotar o conceito 100100% antifumo e com isto, os hóspedes não têm o inconveniente odor de cigarros nos apartamentos

Novas soluções para limpeza e sanitização
Uma das maiores preocupações dos hotéis com a restrição do fumo nos apartamentos são com a limpeza e sanitização, e ao mesmo tempo realizar esse serviço de maneira econômica, rápida e eficiente, que satisfaça tanto o proprietário do hotel como o hóspede que deseja encontrar o seu quarto limpo e livre do cheiro de cigarro. Diante disso, as empresas do segmento de limpeza e sanitização para hotelaria têm investido constantemente na inovação e modernização de seus produtos e serviços, para atender um cliente cada vez mais exigente e ecologicamente correto. A empresa Cleaning Solutions criou a linha ecológica Becker Green Concepts, que são produtos com baixo impacto ambiental, feitas com matérias-primas Green Seal, tensoativos de origem vegetal, alta biodegrabilidade e ecoficiência e isentos de hidróxido de sódio, metassilicato e tripolisfosfato, que prejudica o meio ambiente. Outro diferencial dos seus serviços é que oferece aos seus clientes suporte técnico especializado, além de produtos para governança, higiene geral, higiene de cozinhas, higiene têxtil e tratamento de piso.
Também preocupada com o meio ambiente, e em atender a demanda de clientes que buscam produtos que não afetam a saúde dos hóspedes, a empresa israelense/francesa Merlin Brasil & Latam acaba de lançar no mercado brasileiro a Merlin Magical Essence, que é um produto de tecnologia e fabricação israelense, que é feito a partir de derivados de frutas e flores, e tem autorização da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O produto é hipoarlegênico, ecológico e econômico, a aplicação é feita por vaporização ou pode ser misturado com produtos químicos como água sanitária ou cloro.  Quanto à utilização é recomendado para eliminar o mofo; cheiros ruins como o do cigarro; impermeabilizante de estofados, camas e travesseiros; limpeza de pisos, paredes, móveis, toaletes e repelentes de insetos. A durabilidade do efeito do material é uma de suas qualidades, pois atua eficientemente de cinco a um mês dependendo somente da sua forma de aplicação. Além de proteger o patrimônio hoteleiro, da corrosão e desgaste causados pelos agentes químicos, quando misturado a esses produtos.
Outro sistema que também ganha força na limpeza dos apartamentos de hotéis no Brasil é o ozônio. Ele elimina odores indesejáveis causados pelo fumo, fungos e bactérias, criando ainda uma maior concentração de oxigênio no ar, provocando um aumento do metabolismo humano. Aliado a isto, está um ar com cheiro agradável de fruta ou o cheiro que existe após a chuva.

O Íbis Morumi foi o primeiro hotel da rede a adotar o conceito 100100% antifumo e com isto, os hóspedes não têm o inconveniente odor de cigarros nos apartamentos
O Íbis Morumi foi o primeiro hotel da rede a adotar o conceito 100100% antifumo e com isto, os hóspedes não têm o inconveniente odor de cigarros nos apartamentos

 

SHARE

8 COMENTÁRIO

    • Isto é verdade. O pior é que hotéis que tinham janelas que abriam agora são lacradas, ou seja, não é pelo fumo e sim para economizar mesmo na manutenção. Janelas fechadas 24 h, não entra poeira da rua e fumar num lugar assim fechado ninguém merece. Eu gosto de hotéis que tenham sacada, para se fumar ao ar livre e não entrar o cheiro no quarto. Mas esta gente só pensa em dinheiro.

  1. Não é mentira.. quando um hotel é não fumante e o hóspede fuma no quarto, tem que tirar cortina para lavar, peseiras e higienizar o carpete. Não deixa de ser um custo a mais sendo que o normal seria trocar apenas roupa de cama e banho.
    Se são ítens a mais para serem lavados, nada mais justo que cobrar a despesa adicional de quem não respeitou a sinalização.

    • Sim Sheila! Você tem toda razão. Além do mais, em alguns casos precisamos indisponibilizar a uh por até dois dias para eliminar o odor do tabaco, precisamos passar produto nas paredes, madeiras, etc. De de fato é mais caro sim esta sanitização! Concordo que o fumante precisa pagar uma taxa extra, pois, onera sim o custo do hotel.

  2. EU TENHO HOTEL E TENHO ESTE GRANDE PROBLEMA, EM TODOS APTOS COLOCAMOS PLACAS PROIBIDO FUMAR DENTRO DOS APTOS, MAS OS HÓSPEDES QUE FUMA É DIFÍCIL ELE ACABA FUMANDO DENTRO DOS APTO, E VC FICA COM O PREJUÍZO DA HIGIENIZAÇÃO DOS APTOS QUE É MUITO DIFÍCIL DE LIMPAR, VC PRECISA FICAR COM APTOS VÁRIOS DIAS COM JANELAS ABERTAS VENTILADORES LIGADO PARA PODER TIRAR O CHEIRO FORTE DO CIGARRO, ESTOU PENSANDO EM ADOTAR O SISTEMA DE HOTEL 100% LIVRE DE CIGARRO.

  3. Vão fumar na rua, bem longe de quem quer descansar! Eu estou sempre viajando à trabalho e preciso estar em um lugar descente. Pq todos os fumantes não podem ser gentis com os outros que não fumam?

  4. Realmente, para que não é fumante é incomodo sentir o cheiro. No entanto, se estamos numa democracia ( aliás, existe, mas de fato ao observamos nessas questões não temos). O hábito de fumar tem sendo visto cada vez mais um ato de transtorno, mas também não podemos discriminar ou atacar quem é fumante. Todos nós temos direitos, e a Lei antitabagismo ela vem ferir o direito de ir e vir, pois pagamos caro por uma diária, e quando chegamos do trabalho, ou até mesmo de um passeio o fumante – o cidadão que fuma – tem o direito de fumar o seu cigarro. Embora os hotéis não aceitam mais devido a Lei. Mas deviam também criar espaços, pois é constrangedor fumar na rua, torna-se um ato de discriminação, pré-conceito. Todos têm direitos e deveres, mas acima de tudo, respeitar o outro. Sabemos o quão é difícil para de fumar. A questão da higienização dos hotéis, acredito que não acrescente, pois na verdade, o correto seria lavar todas as cortinas, higienizar todo o ambiente a cada saída, pois já fiquei em hotéis 3 estrelas que mesmo a pessoa não sendo fumante, o cheiro de mofo, banheiro sujo e pedi para trocar. Fumantes e não fumantes devem ter respeito pelo outro.

  5. Bom dia a todos. Eu trabalho em hotel e vejo uma grande falta de bom senso por parte de quem é fumante. Penso que todos tem o direito de ir e vir, porém existe uma palavra que tem faltado e muito hoje em dia: respeito!!! Ai alguns podem dizer: mas e a falta de respeito com quem fuma, o proibindo de utilizar determinadas instalacões do hotel? Pense um fumante chegar e fazer check in e encontrar seu apartamento com forro de cama ,cortinas, banheiro,enfim o apartamento todo com um odor horrivel sem condicões de uso? seria insatisfatório não seria? com certeza surgiria ali um enorme desconforto e reclamacão por parte do hospede em questão e com toda a razão. Do mesmo modo quando alguém que não é fumante chega e encontra um forte odor de cigarro tem o mesmo problema. Penso que é um problema cultural e educacional. O brasileiro não respeita regras estabelecidas e parte sempre do fato de que ” eu estou pagando e posso fazer “. Regras existem e são feitas para serem cumpridas. Tanto que pensando seriamente no assunto estamos falando de algo que tem causado milhòes de óbitos por ano no mundo todo. Concordo com o fato de ser cobrado uma taxa do hospede que fumar aonde não lha é permitido. Imagine o tamanho do gasto para se limpar um apartamento com odor de cigarro? Pior ainda, o hotel tem que deixar o apartamento as vezes 2 ou 3 dias parado para tirar todo o cheiro. Portanto FUMANTE OU NÃO FUMANTE PENSE BEM EM SUAS ATITUDES,RESPEITE O DIREITO DO OUTRO DENTRO DO QUE LHE É PERMITIDO OU NÃO FAZER AONDE QUER QUE ESTEJA. O MUNDO PERDEU A GENTILEZA,O RESPEITO E A HUMILDADE A PONTO DE ESQUECERMOS QUE SOMOS TODOS IGUAIS INDEPENDENTE DE QUALQUER COISA. FAZER A NOSSA PARTE SERVIRÁ DE EXEMPLO PARA O PRÓXIMO FAZER A SUA PRÓPRIA CRIANDO ASSIM AMBIENTES SAUDÁVEIS E DE RESPEITO MUTUO DEIXANDO UM BOM EXEMPLO PARA FUTURAS GERACÕES.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image