HOME Matérias Aconteceu Estudos de caso abrem ciclo de palestras da 3ª edição do...

Estudos de caso abrem ciclo de palestras da 3ª edição do Adit Share

Painel foi moderado pela Presidente da RCI, Maria Carolina Pinheiro

57
0
SHARE
A diretora geral da RCI Brasil, Maria Carolina Pinheiro moderou o primeiro painel que contou com a presença de renomados profissionais do setor

Direto de Campinas (SP) – Terminou há pouco o primeiro painel da terceira edição do ADIT Share que acontece no Royal Palm Plaza, em Campinas (SP). O encontro de profissionais do setor imobiliário e turístico voltado para propriedade compartilhada, é organizado pela Adit Brasil e tem a Revista Hotéis como Media Partner. A primeira palestra foi regida sob o tema “Começando uma operação de Timeshare: estudos de caso”, moderado pela Diretora Geral da RCI, Maria Carolina Pinheiro.

Compuseram o painel Felipe Cavalcante, do ILOA Vacation (AL) e Presidente do ADIT Brasil; Cesar Nunes, do Royal Palm Plaza (SP); Guilherme Martini, do Costa do Sauípe (BA); Lizete dos Santos Ribeiro, da Tauá Hotéis (BH) e Clóvis Meloque, da CLM Consultoria (SP).

Lizete dos Santos Ribeiro: "Fizemos a adesão ao sistema de timeshare da RCI Brasil em setembro do ano passado e já temos um faturamento acumulado de R$15 milhões em adesão"
Lizete dos Santos Ribeiro: “Fizemos a adesão ao sistema de timeshare da RCI Brasil em setembro do ano passado e já temos um faturamento acumulado de R$15 milhões em adesão”

Lizete Ribeiro, Diretora da rede Tauá Hotéis, apresentou as três unidades do grupo: o Tauá Resort Caeté, com 350 UHs – o maior de Minas Gerais; o Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá, empreendimento tombado pelo Patrimônio Histórico e o terceiro, Tauá Atibaia (SP), que terá ampliação e implantação de boliche, boate e outros espaços de entretenimento. Lizete conta que aderiu ao Tempo Compartilhado junto à RCI visando crescer, após um estudo de seis anos. O faturamento acumulado é de R$15 milhões desde a adesão em setembro.

Segundo Lizete, “O custo precisava ser baixo, já que nossa preocupação era baixa ocupação. O foco foi no cliente e não no faturamento. A maior dificuldade foi adequar a cultura da rede Tauá ao negócio do tempo compartilhado, e o ajuste de sistemas para controle de pontos versus controle contábil e financeiro. Mas tem dado certo pois estamos acompanhando o crescimento do negócio e focando em nosso associado e na nossa marca: não tem fila de check in, atendimento VIP, entre outras vantagens”, explica a diretora.

Em seguida, o CEO do Costa do Sauípe, Guilherme Martini contou sobre a inclusão do resort no modelo de timeshare, que teve dificuldades em convencer seus investidores. O empreendimento conta com 1.564 apartamentos, divididos em três tipos de  hospedagem.  Mais de 120 mil hóspedes passam pelo empreendimento por ano. Trata-se de uma S.A. de capital aberto, de propriedade da Sevi.

Guilherme Martini: "A sazonalidade do Costa do Sauipe foi um  importante ponto de análise para a implantação do Vacation Club"
Guilherme Martini: “A sazonalidade do Costa do Sauipe foi um importante ponto de análise para a implantação do Vacation Club”

O Costa do Sauípe Vacation Club foi inaugurado em dezembro de 2014, e clientes da hospedagem Premium podem resgatar pontos em qualquer categoria, enquanto os clientes de oferta Resorts estão restritos ao seu próprio produto e às Pousadas. “Alguns passos importantes no processo de implantação foram escolher os parceiros mais adequados, como consultoria de implementação, jurídica e intercambiadora. Outro desafio foi definir o modelo de operação quanto à equipe, avaliando se fazia sentido terceirizar, mas optamos pela operação própria. Precisamos definir produtos que fariam parte do novo modelo e a escolha do local da sala de vendas”, conta Martini, que menciona a sazonalidade do empreendimento como um importante ponto de análise para a implantação do Vacation Club.

Felipe Cavalcante

Presidente do ADIT Brasil, Felipe Cavalcante também apresentou a história do Vacaton Club do ILOA Resort. A localização em Alagoas como um do principais destinos turísticos do Brasil foi um dos fatores que levaram o ILOA a aderir ao negócio. Segundo ele, o empreendimento tem pretensão de chegar a 593 apartamentos nos próximos anos. “Cada caso é um caso, não é porque deu certo em um empreendimento que dará em todos. Fizemos um grande estudo, e consultamos os que deram errado para saber o motivo. Outra coisa que é importante, é refletir na dificuldade de trazer as empresas para abraçar o projeto. Há 15, 20 anos não tínhamos cases de sucesso e era muito mais difícil acreditar, mas hoje isso já mudou”, comenta Felipe.

O representante do ILOA Resort também destacou que este é um negócio de faturamento a longo prazo, um cuidado que também deve ser tomado. “A técnica de vendas foi o que me encantou. No meu caso, eu percebi que o mercado de propriedade plena já estava muito pequeno, abrindo a oportunidade para propriedade compartilhada. Quando pensei a pensar nisso mais seriamente, há dois anos, já tinha sistema, a contabilidade facilitada e consultores que não tinham antes”, comenta Felipe.

César Nunes: "Em oito meses de operação do Vacation do Royal Palm Plaza já obtemos um faturamento de R$17 milhões"
César Nunes: “Em oito meses de operação do Vacation do Royal Palm Plaza já obtemos um faturamento de R$17 milhões”

Cesar Nunes, Diretor Comercial do Royal Palm Plaza, apresentou também os resultados da adesão ao Vacation Club, desde dezembro de 2013. Segundo ele, o carro chefe do empreendimento são os eventos. “Muitos nos disseram que o negócio não daria certo, exatamente pelo público que recebemos. Mas registramos neste um ano e oito meses de operação do Vacation um faturamento de R$ 17 milhões. O cliente do vacation deve ser tratado de forma diferente, já que está adquirindo algo intangível. Outro ponto importante é a consultoria, que parelha a sua cultura e interesses a técnica de sala e implantação ao negócio. Tínhamos a preocupação com a imagem do hotel, relacionando um produto de luxo ao Vacation, um ponto essencial a ser refletido”, comenta Nunes.

Para finalizar o primeiro painel do dia, Clóvis Meloque, consultor da CLM, apontou dois pontos que se encontram na operação: o esforço pelo baixo custo e a atenção dada ao cliente, que exige investimento. Ele também apresentou como case o Le Canton Vacation, que já tem 950 contratos vendidos, sob o valor de R$ 21.460,77 por contrato e R$ 5.904,35 por guest.

Em instantes, será realizado o Speed Network, uma novidade  implantada este ano no encontro. Nele, os empresários poderão conhecer outras empresas que possam auxiliar no desenvolvimento de seus projetos.

Clóvis Meloque apresentou o case de sucesso do Le Canton
Clóvis Meloque apresentou o case de sucesso do Le Canton

A Revista Hotéis se hospeda no Real Palm Resort a convite da Adit Brasil.

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image