HOME Matérias Trade Estudo da Hoteis.com aponta preferências de turistas chineses pelo mundo

Estudo da Hoteis.com aponta preferências de turistas chineses pelo mundo

Relatório anual do Chinese International Travel Monitor (CITM) mostra preferências e demandas nos hotéis e destinos que visitam

133
0
SHARE

Para identificar as preferências de viagem de turistas pelo mundo, o portal Hoteis.com elabora estudos específicos que auxiliam meios de hospedagem e destinos a se prepararem para recebê-los. Uma das pesquisas do site, o sexto relatório anual do Chinese International Travel Monitor (CITM), revelou que os viajantes chineses gastam 28% de seus rendimentos, em média, em viagens internacionais. Porém, os que mais gastam são os nascidos nas décadas de 80 e 90, que destinam 35% para viagens.

O surgimento da chamada “more generation”, ou “geração mais” chinesa (em tradução livre para o português) identificada no relatório engloba viajantes chineses de todas as faixas etárias que viajam com mais frequência e por mais tempo, com o número de viagens e o número de dias por viagem aumentando no ano passado de 3 para 4 e de 5 para 7 dias, respectivamente. Os viajantes chineses também visitam várias cidades por viagem e mais de 80% disseram que não ficariam em uma única cidade.

Essa “geração mais” proporciona grandes benefícios para as economias globais. A China, por exemplo, recebeu 122 milhões de turistas internacionais em 2016 – 4% a mais do que em 2015 e um aumento de 74% em relação a 2011.

Apesar de indicadores fornecerem sinais de uma desaceleração na economia chinesa, o CITM desse ano aponta que os gastos com viagens aumentaram em todas as faixas etárias. Os chineses gastaram em média US$ 3.600 por viagem nos últimos 12 meses – mais de um quarto de sua renda – o que corresponde a um aumento de 4% em relação ao ano anterior.

Gasto dos viajantes

Os viajantes chineses declararam a intenção de gastar 10% a mais em suas viagens nos próximos 12 meses. Além disso, dois terços dos millennials disseram que esperam gastar mais esse ano. O valor médio gasto por dia também aumentou – 8% a mais do que em 2015 – com restaurantes, passeios e atividades de descanso e relaxamento que se mostram mais populares. Já os gastos com  compras cresceram 35% em relação ao ano passado, indicando uma crescente sofisticação nas preferências de destinos procurados pelos chineses.

Brasil e América Latina

O que mais atrai os turistas chineses no Brasil são as praias. 32% dos entrevistados procuram conhecer as praias brasileiras. Em outros locais do mundo, apenas 17% dos chineses querem conhecer atrações litorâneas. Além disso, o Brasil é um país bastante adepto à organização de grupos, pacotes de viagens e excursões, modelo que agrada os chineses. 23% dos turistas conhecem o país dessa forma, contra a média global de 17% em outros destinos.

Embora a Ásia ainda seja o destino mais popular (82% visitaram nos últimos 12 meses), o relatório do CITM identificou que as viagens de longo curso para a Europa e a América aumentaram em popularidade. O número de viajantes chineses que visitaram esses destinos nos últimos 12 meses aumentou 25% (Europa) e 11% (América) em relação ao ano anterior. Esses destinos foram particularmente populares entre os viajantes dos anos 80, com 42% visitando a Europa e 29% visitando a América no último ano.

Os viajantes chineses demonstram para os próximos 12 meses um desejo de viajar ainda para mais longe do que antes – França, Estados Unidos  Canadá e  Alemanha, em comparação com seus rankings em 2016. Embora ainda tenha uma taxa de ocupação razoavelmente baixa de visitantes chineses, a América Latina apresentou um forte crescimento nos últimos 12 meses: 21%.

Hotelaria

O relatório identificou ainda que os hotéis têm investido nas redes sociais e em programas de marketing para atrair turistas chineses e, como resultado do aumento de gastos em marketing, os hotéis afirmam que o investimento em serviços para hóspedes chineses diminuiu, com apenas 4% gastando mais do que US$ 10.000 em comparação com 12% no ano passado.

O relatório identificou lacunas nos serviços oferecidos pelos hotéis comparadas com o que os hóspedes chineses esperam:

  • Facilidades chinesas de pagamento em hotéis, como o Union Pay, ocupam o segundo lugar pelos consumidores, mas apenas 18% dos hotéis atualmente oferecem essas instalações. Na verdade, apenas 18% pretendem oferecer esse benefício nos próximos 12 meses;
  • Hotéis com equipe fluente em mandarim ficaram em primeiro lugar segundo os viajantes, mas permaneceram baixos na lista para os hoteleiros, com apenas 17% atualmente oferecendo o serviço e 17% planejando nos próximos 12 meses;
  • Os restaurantes chineses locais ficaram em quinto lugar na preferência dos viajantes, no entanto, apenas 7% da rede hoteleira atualmente oferece esse serviço. Apenas 13% pensam em oferecer esse benefício nos próximos 12 meses;
  • Guias de viagem traduzidos ficaram em quarta posição, mas não são prioridade para a rede hoteleira – 18% dos hotéis atualmente oferecem esse benefício e apenas 21% planejam investir nisso no futuro.

A pesquisa reúne dados de mais de três mil viajantes internacionais chineses e quase quatro mil acomodações de parceiros globais da Hoteis.com com os próprios dados da Hoteis.com e outras pesquisas de terceiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image