HOME Matérias Trade Deputados lutam por fim do visto para americanos no Brasil

Deputados lutam por fim do visto para americanos no Brasil

Acordo de reciprocidade (exigência de visto para ambos países) pode ser empecilho para Brasil liberar entrada de americanos

16
0
SHARE
Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo

Em 2014, o Brasil registrou o recorde de 6 milhões de turistas estrangeiros no País, sobretudo devido à Copa do Mundo de Futebol realizada no País. Contudo, este ainda é um número muito baixo em comparação com países europeus como a França, que recebe mais de 80 milhões de turistas por ano. Visando mudar este quadro, a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo debate o fim do visto para estrangeiros no Congresso Nacional, sob articulação do Deputado Federal Herculano Passos (PSD-SP).

Para debater o tema, o parlamentar propôs a realização de uma audiência pública na Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados. Ela aconteceu nesta quarta-feira, em Brasília, com a presença de representantes do executivo e do trade turístico. “Nosso principal foco é o mercado americano. Hoje existe entre o Brasil e os Estados Unidos um acordo de reciprocidade, que faz com que nós tenhamos que tirar o visto pra ir pra lá e eles pra entrar aqui. Queremos, ao menos, derrubar a exigibilidade do visto para eles, e assim atrair um número maior de visitantes daquele país para o nosso”, explicou Herculano.

Os Estados Unidos emitem mais de 50 milhões de turistas por ano para o mundo. O presidente da FrenTur afirma que, desse total, apenas 1% vem para o Brasil. “Se facilitarmos a vinda deles, chegaremos perto do número de brasileiros que vão para lá, que hoje é de mais de 1,5 milhão por ano”.

Na audiência, o Secretário Nacional de Políticas do Turismo, Júnior Coimbra, apresentou dados que mostram que os turistas provenientes dos EUA são os que mais gastam, os que permanecem por mais tempo e que visitam mais locais no Brasil. “Nós já temos a isenção de visto para mais de 82 países, mas para os Estados Unidos, que é nosso principal mercado, ainda temos esse empecilho da reciprocidade”, diz.

Para Walter Ferreira, assessor da Embratur, instituto responsável pela divulgação do Brasil no mercado internacional, a facilitação do visto melhora a competitividade do país em relação a outros destinos turísticos. “Nós precisamos travar uma batalha em todos os pontos da competitividade brasileira e o visto é um deles, não só pela sua dificuldade de obtenção, mas também pelo seu custo, que impacta no preço final do produto brasileiro no mercado internacional”, explicou.

A questão migratória e a política de visto é regida pelo Estatuto do Estrangeiro, uma lei da época do regime militar. Conforme o Embaixador Rodrigo do Amaral Souza, diretor do Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos da Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior, está lei diz que é possível estabelecer o regime de isenção de visto de turista condicionado à reciprocidade e à celebração de um acordo internacional. “Para mudar isso, temos a necessidade de introdução uma nova lei”, explicou.

Os EUA não negociam acordos de isenção. O país candidato tem que preencher uma série de requisitos para ser admitido no Visa Waiver Program, um programa que permite a cidadãos de outros países ingressarem nos Estados Unidos para viagens a turismo ou negócios por até 90 dias sem visto. “O Brasil já preenche quase todos os requisitos, mas há uma exigência técnica fundamental que ainda não atendemos, que é a de não ter mais de 3% de solicitantes de vistos recusados e nós temos 3,5%”.

Desde 2012 o Brasil negocia com os EUA a inclusão no Programa, mas as tratativas foram interrompidas em 2013, em virtude do episódio da espionagem americana ao governo brasileiro. “As relações foram retomadas este mês com a viagem da presidente aos Estados Unidos e nós devemos retomar as discussões”, informou o Embaixador.

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image