HOME Matérias Trade Câmara de Turismo defende a fiscalização mais criteriosa nas companhias aéreas

Câmara de Turismo defende a fiscalização mais criteriosa nas companhias aéreas

12
0
SHARE

O hábito de viajar está cada vez mais presente no cotidiano dos brasileiros. Por consequência, há uma grande procura por passagens e uma variedade jamais imaginada de regras tarifárias. Em um mesmo vôo, podem existir mais de 13 tarifas diferentes somente para a chamada classe econômica ou turística, além da executiva e primeira classe. Apesar da democratização do acesso ao transporte aéreo ser um ponto positivo para o turismo nacional e internacional, muitas são as artimanhas utilizadas pelas companhias aéreas, que buscam atrair clientes com a oferta de tarifas promocionais sem informarem a quantidade de assentos disponíveis, e “prendê-los” por meio de regras tarifárias que, na prática, prejudicam o consumidor desassistido.

 

De acordo com o Sindetur/SPSindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo, as empresas aéreas fornecem informações incompletas sobre as várias regras restritivas que impõem para as diferentes classes tarifárias e agem em total liberdade, sem qualquer controle ou acompanhamento das autoridades. Além disso, impõem, intempestivamente, às agências de viagens, que cobrem multas abusivas dos consumidores e penalizam esses prestadores de serviços quando, no cumprimento do seu dever de ofício, buscam o melhor preço para beneficiar seu cliente. Isto porque virou “moda” as empresas aéreas aplicarem multas nas remarcações das passagens, até para os mesmos vôos, feitas por tarifas de menor valor do que aquela originalmente adquirida.

 

Um claro exemplo disto está no aumento das chamadas ADMs (sigla genérica para as diferentes taxas administrativas) que muitas das empresas aéreas, nacionais e internacionais, têm aplicado às agências de viagens, cobrando do consumidor multas inesperadas. As pessoas que resolvem cancelar ou remarcar uma viagem que já estava programada – e, inclusive, paga – por terem interesse em adquirir um bilhete mais barato, lançado pela mesma companhia da qual compraram a passagem, são penalizadas. Normalmente, estas ofertas de passagens com preço inferior aparecem no mercado dias antes do embarque e têm o objetivo de preencher os assentos que estiverem vazios no avião, e por incrível que possa parecer muitas destas passagens não são reembolsáveis, mesmo quando canceladas com antecedência.

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image