HOME Matérias Mercado Belo Horizonte tem 21 hotéis com obras atrasadas

Belo Horizonte tem 21 hotéis com obras atrasadas

9
0
SHARE

Estes hotéis receberam incentivos fiscais para ficarem prontos para atender a Copa do Mundo de 2014. A Accor é a rede que tem mais tem obras de hotéis paralisadas, pois o Pullman, o Ibis Belvedere e o Novotel Suites Savassi deveriam colocar 602 novos apartamentos no mercado hoteleiro de Belo Horizonte e não devem ser concluídos

Isto é o que revela o inventário de novos projetos hoteleiros da cidade de Belo Horizonte que acaba de ser atualizado pelo Consultor hoteleiro Maarten Van Sluys da JR & MVS Consultores. Estes hotéis perfazem 3.138 novos apartamentos que já deveriam ter entrado em operação no mais tardar até o dia 31 de março. Este foi o prazo final que a Prefeitura de Belo Horizonte estipulou para a conclusão destes hotéis que se beneficiaram da Lei 9952/2010 de incentivos que permitiu um coeficiente maior de construção. 

Segundo o estudo do Consultor Maarten, dos 80 projetos que deram entrada na Prefeitura, totalizando 13.764 quartos aprovados, dez foram abertos entre 2012 e 2013, totalizando 1.486 apartamentos. 14 hotéis já entraram em operação neste ano, totalizando 2.546 apartamentos. 21 hotéis estão com obras atrasadas (3.138 apartamentos) e 35 projetos foram cancelados ou viabilizados, o que correspondem a 6.594 novos apartamentos.

Agora o que deverá se discutir é se a pesada multa que a prefeitura de Belo Horizonte estipulou para estes hotéis que se beneficiaram da Lei 9952/2010 de incentivos será aplicada ou não. Os fiscais da Prefeitura já estiveram nas obras atrasadas e notificaram todos pelo atraso e emissão das multas conforme infração. 

O Consultor Van Sluys faz um cálculo explicando melhor como poderá ser aplicada esta multa tomando como base um novo hotel com 1.000 m² de área de terreno e valor venal de R$ 10 mil por m², na Zona Sul de Belo Horizonte. “O fator construtivo de incentivo 5,0, menos  1,5 que é o fator construtivo original da área é igual a 3,5 x 1.000 m2 x R$ 10.000 (valor do m²). Com isto a multa pode chegar a R$ 35 milhões, o que em vários casos é mais caro do que os recursos empregados na construção do empreendimento. Isso certamente está tirando o sono dos empreendedores, em sua maioria construtoras sem fôlego algum para absorver sequer parcialmente estas multas”, destacou o Consultor Van Sluys. 

Entre os projetos paralisados pelas construtoras e que provavelmente não devem ter as obras retomadas, chama a atenção a Paranasa que estava construindo três unidades para a rede Accor, sendo eles: O Pullman e Ibis Belvedere e o Novotel Suites Savassi que juntos deveriam colocar 602 novos apartamentos no mercado hoteleiro de Belo Horizonte. Outra grande obra paralisada é da Construtora CMR que estava sendo erguida para ser o Bristol Stadium com 327 apartamentos e deveria ser administrado pela Allia Hotels. 

Segundo Van Sluys, a oferta hoteleira em Belo Horizonte não classificada até 2013 era de 8.157 apartamentos e somente com a entrada em operação dos 24 novos hotéis, já houve um aumento de 4.032 apartamentos e hoje a oferta é de 12.189 apartamentos. Se os 21 hotéis que estão em construção entrarem em operação, somaram mais 3.138 novos apartamentos e Belo Horizonte terá uma oferta de 15.327 apartamentos até o final do próximo ano.

Levando em consideração que a taxa de ocupação e diária média estão caindo de forma vertiginosa, como se manter competitivo neste mercado acirrado será o grande desafio e isto preoupa em muito hotéis antigos e defasados. “Esta renovação da frota hoteleira em Belo Horizonte se faz necessária embora gere apreensões junto aqueles que por anos ganharam um bom dinheiro sem reinvestir em seus negócios”, conclui Van Sluys.   

 

SHARE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image