HOME Matérias Trade ANTT extingue limite de quilometragem para viagens em vans e micro-ônibus

ANTT extingue limite de quilometragem para viagens em vans e micro-ônibus

108
0
SHARE
Micro-ônibus para transporte de turistas. (Foto: site prefeitura de Três Lagoas)

A ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres publicou recentemente uma nova resolução a qual irá beneficiar pequenos transportadores turísticos que utilizam vans e micro-ônibus para viagens interestaduais. A principal mudança é o fim da limitação de 540 km para o percurso, incluindo ida e volta – medida considerada uma conquista por representantes do setor.

De acordo com Aparecida Bezerra, diretora do Departamento de Formalização e Qualificação do Ministério do Turismo, “A medida deve impulsionar o fretamento de vans e micro-ônibus para viagens turísticas em benefício tanto dos pequenos empresários quando dos viajantes. Todos saem ganhando”, afirmou.

A intenção de viajar de ônibus cresceu pelo quinto ano consecutivo de acordo com a Sondagem do Consumidor, levantamento mensal feito pela pasta. De acordo com os números revelados pela pesquisa, a intenção de utilizar esse meio de transporte para viajar atingiu 14,1%, um recorde para o mês de fevereiro desde 2011. Em comparação com o valor registrado em 2011, houve um crescimento de 56,6%. O levantamento apontou que para 7,9% dos entrevistados as próximas viagens deverão ser feitas em meios de transportes alternativos como vans, micro-ônibus e moto. O número mais do que dobrou em relação ao mesmo período do ano anterior quando foi registrado 2,6%.

Na visão de Luiz Martinez, presidente da Amettur – Associação dos Microempreendedores Individuais do Transporte Turístico, essa nova resolução ampliará o número de viagens em vans e micro-ônibus, uma vez que muitos transportadores vinham recusando serviços devido ao limite de 540 km para cada viagem. Os veículos devem ser cadastrados no Cadastur, do Ministério do Turismo.

A resolução também permite que transportadoras com capital social inferior a R$ 120 mil possam prestar o serviço de transporte turístico interestadual, ficando obrigadas a contratar o seguro garantia. Este era um pleito dos pequenos transportadores que não conseguiam comprovar o capital social, exigido anteriormente, aceito após negociações entre a categoria e a ANTT.

SHARE