Alexandre Zubaran palestrou no 12º Encontro da Hotelaria e Gastronomia Mineira

Alexandre Zubaran palestrou no 12º Encontro da Hotelaria e Gastronomia Mineira

72
0
SHARE
Alexandre Zubaran: "hoje os consumidores buscam produtos por valores e autenticidade e somente as marcas que possuem um bom projeto, se tornam competitivas no mercado.

Direto de Montes Claros – O empresário do setor de viagens e consultor Alexandre Zubaran acaba de fazer uma palestra na 12ª edição do Encontro da Hotelaria e Gastronomia Mineira que se encerra hoje no espaço Portal Eventos, em Montes Claros (MG). Zubaran iniciou sua palestra enfatizando as mudanças que afetam o comportamento do consumidor e citou como exemplo o consumo das tradicionais cervejas que está em queda, mas o de cervejas especiais cresce até 30% ao mês. Na opinião de Zubaran, a explicação está no fato que hoje os consumidores buscam produtos  por valores e autenticidade e somente as marcas que possuem um bom projeto, se tornam competitivas no mercado. “Esta é uma tendência irreversível, pois os consumidores necessitam cada vez mais de produtos inovadores. A discussão que se trava agora é de quem não gosta de mudança, vai gostar ainda menos da irrelevância e esta é uma nova era, ao contrário da era passada do conhecimento que já não é prioritário para novas gerações, pois a internet democratizou as escolhas”, destacou Zubaran.

E ele citou a inteligência competitiva de um smartphone que tornou irrelevante vários produtos como relógio, despertador, calculadora, lanterna, máquinas de cartões de crédito, computadores, acesso a internet, entre outros.

E depois de fazer esta explanação sobre inteligência competitividade e tecnologia aliada ao negócio, Zubaran explicou os objetivos de uma parceria estratégica que pode ser utilizada em qualquer atividade produtiva. “Ela serve par compartilhar riscos ou sucesso, obter economia de escala, acessar novas frentes de atuação, acessar tecnologia de conhecimento, ampliar a atuação geográfica, resolver limitações financeiras e alavancar habilidades. Com isto, ele apresentou o cluster de entretenimento da Bahia, criado quando ele presidia o complexo Costa de Sauípe, e que envolvia várias atividades e segmentos diversos com o objetivo de fomentar o turismo na Bahia.

Com esta experiência de cluster, Zubaran resolver desenvolver o cluster turístico e cervejeiro do Rio de Janeiro. O primeiro passo foi a criação da Associação Turística das Cervejeiras & Cervejeiros do Rio de Janeiro e o objetivo era unir a cultura cervejeira e do bem receber os turistas que visitam as cidades serranas cariocas Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo, Cachoeiras de Macacu, Santa Maria Madalena e Guapimirim. “Como os associados disputam de forma agressiva cada cliente no mercado não traçamos ações que envolvam o líquido em si para evitar geração de conflitos. O objetivo do projeto é proporcionar aos visitantes uma imersão na cultura da cerveja, na gastronomia, misturado ao rico cenário de montanhas, cachoeiras cristalinas, parques naturais e tantos outros atrativos turísticos da região”, explicou.

Ele lembrou que o Brasil ocupa atualmente a terceira posição do ranking como produtor e consumidor de cerveja no mundo e o setor representa 12% da indústria nacional e 2% do PIB do país. Hoje, no estado do Rio de Janeiro, cerca de 350 mil empregos diretos e indiretos estão ligados à produção de cerveja. “A rota cervejeira é um enorme atrativo turístico para o interior do estado, pois a cerveja é uma bebida muito difundida no Brasil e no mundo todo, sendo um tema que agrada e atrai visitantes. A rota tem tudo para se tornar um forte produto do turismo fluminense, já que o potencial turístico dos municípios participantes do projeto é muito significativo. É mais um atrativo para o estado que pode beneficiar o setor turístico da serra, gerando empregos, renda e melhorando a qualidade de vida das pessoas”, finalizou Zubaran deixando a ideia de se criar na região de Montes Claros, um cluster da rota turística da carne de sol.

 

Bernadete Guimarães: "“Vejo a criação de um cluster na região norte de Minas como uma grande alavanca para incrementar nosso turismo"
Bernadete Guimarães: ““Vejo a criação de um cluster na região norte de Minas como uma grande alavanca para incrementar nosso turismo”

E neste sentido, a Professora Bernadete Guimarães Silva prosseguiu a palestra de Zubaran e apresentou as experiências que teve visitando várias cidades de Minas Gerais na Expedição sertão norte, gastronomia e cultura que ela realiza. Ela destacou a reunião de forças, a vontade do sertanejo de preservar e dar continuidade aos costumes a culinária e a cultura do Norte de Minas Gerais. O cultiva de alimentos em sua forma mais simples, a agricultura tradicional, sementes que são passadas de pais para filho, assim como receitas originais que correm riscos de extinção.

A Professora Bernadete passou aos participantes que a gastronomia tradicional tem de ser preservada, assim como valores que estão intrínsicos a própria cultura e citou a carne de sol e o pequi que hoje fazem parte da alta gastronomia, assim como a cachaça que já é conhecida mundialmente. “Vejo a criação de um cluster na região norte de Minas como uma grande alavanca para incrementar nosso turismo e fortalecer nossas economias locais”, concluiu Bernadete.

Trofeu 1
SHARE

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA


CAPTCHA Image
Reload Image