HOME Matérias Aconteceu ADIT Share 2017 debateu gestão de talentos da propriedade compartilhada

ADIT Share 2017 debateu gestão de talentos da propriedade compartilhada

108
1
SHARE
Da esquerda a direita da foto, Marcos Ravagnani, o moderador do painel com Armando Ramirez (Wyndham Club Brasil), Marcos Vargas da New Time e Leo Mizoe (Grupo Rio Quente)

Direto de Rio Quente (GO) – Marcos Ravagnani, Executivo da RCI Brasil foi o moderador deste painel que terminou agora há pouco na sala de eventos do hotel Turismo, que fica no Complexo do Rio Quente (GO). Marcos Vargas (New Time), Armando Ramirez (Wyndham Club Brasil) e Leo Mizoe (Grupo Rio Quente), foram os painelistas. Mizoe começou a palestra explicando aos presentes como o Grupo Rio Quente faz a retenção e engajamento de seus colaboradores e ele enfatizou que: “Não queremos pessoas que estão pensando somente em ganhar dinheiro vendendo nossos produtos. Queremos pessoas comprometidas com nossos valores e que vão agregar valor aos nossos produtos com bastante engajamento. Levamos muito a sério o treinamento e qualificação profissional de nossos colaboradores que podem contar inclusive com cursos de capacitação no exterior. Temos como cultura desenvolver o talento das pessoas para suprir as necessidades do mercado. Remuneração alta muitas vezes é um malefício tem de conciliar com as estratégias”.

Armando Ramirez explicou que a Wyndhan Club tem um modelo de negócios diferente no Brasil e tem a TC Brasil como parceiro de vendas. “Já temos quatro operações no Brasil com 140 colaboradores e cada um necessita de treinamento específico e motivador. Com isto, queremos continuar crescendo no Brasil e na América do Sul com muita dedicação e fazendo a coisa certa. Para isto, apostamos em nosso principal material, que é o capital humano, no qual valorizamos muito e damos oportunidade de treinamento e capacitação no exterior”, disse Ramirez.

Marcos Vargas disse que começou sua carreira no Rio Quente Resort como captador, adquiriu muita experiência e já passou por vários outros empreendimentos, como o Enotel em Porto de Galinhas (PE) e o DiRoma, em Caldas Novas (GO). “A New Time, na qual faço parte hoje, não é de cinco sócios, mas sim de cinco amigos que trata os colaboradores também como amigos. Hoje temos 543 captadores de vendas com 18 salas. Temos convicção que a remuneração é importante, mas ela por si não retém os colaboradores. É preciso criar condições para os colaboradores terem segurança em seu trabalho para conhecer muito bem o que faz, pois isto vai impactar nas vendas”, enfatizou Vargas que deixou um alerta: “Treinamento demais, mata os talentos, pois cansa e em algumas vezes, desmotiva os colaboradores que em sua grande maioria prefere promoção do que melhor remuneração”.

Mizoe lembrou que o perfil de vendas de um profissional de time share é diferente de uma vendedor normal. “O vendedor de time share é mais introvertido, é mais disciplinado, necessita ter um raciocínio rápido e lógico”.

1 COMENTÁRIO

  1. A equação para gestão de talentos, que prefiro chamar de Capital Intelectual, deve começar no recrutamento e seleção, passar por um Plano de Carreira e Remuneração sempre alinhado aos requisitos de Competências e Desempenho que deve ser sistematicamente e periodicamente avaliados, seja no modelo 180, 360 ou 365. Desculpa, mas os debatedores não falaram nada com nada que possa realmente contribuir com o tema do painel. E, ainda considero que as Salas de vendas de propriedade compartilhado estão engatinhando quando na gestão de talentos. O que significa que com o crescimento do mercado teremos igual ou pior situação que já vive outros segmentos no Brasil. Falta de talentos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image