HOME Matérias Aconteceu ENCATHO: Simpósio discute importância dos setores de manutenção e governança

ENCATHO: Simpósio discute importância dos setores de manutenção e governança

53
0
SHARE

DIRETO DE FLORIANÓPOLIS (SC) – Ana Karina Lessa, especialista em Gestão de Qualidade, apresentou aos participantes do Simpósio de Governança e Manutenção Hoteleira, que acontece na grade de programação do Encatho Exprotel 2015, uma abordagem sobre os paralelos e interdependência da governança e da manutenção.

De acordo com ela, é essencial que ambos departamentos possam atuar sob a mesma sinergia, com a compreensão da função de cada setor para a prestação do serviço ao hóspede, além de aliar o plano de manutenção ao plano de governança de maneira que se criam relações de interdependência. “A manutenção tem como função deixar os apartamentos do hotel, sempre aptos para receberem os hóspedes de maneira eficiente, com os equipamentos em pleno funcionamento. Já a governança tem a função de deixar toda a parte de conforto aptas para os hóspedes. É sempre importante interligarmos os dois departamentos para que ambos atuem junto para o conforto do hóspede”, explica.

A executiva falou sobre os diferentes tipos de manutenção como a reativa, a qual só espera o aparelho dar problema para depois consertar; e a proativa, a qual é corretiva e planejada e que influencia no desempenho do hotel, pois o número de falhas será menor no hotel. “Quando o apartamento não contem problemas com manutenção, o apartamento consegue ser disponibilizado com muito mais rapidez ao hóspede”, frisa.

Os procedimentos operacionais padrão nos setores de manutenção e governança também foram pontuados por Ana Karina, e que através deles, a gestão desses departamentos torna-se muito mais preventiva e eficaz, pois assim fica determinado qual a função de cada setor para atividade.

Case Hotel Il Campanário
O gerente de infraestrutura do Hotel Il Campanário, Paulo Correa, também apresentou durante o painel um case especial abordando o trabalho de manutenção no empreendimento. O executivo comentou um pouco sobre seu histórico profissional e pontuou os principais pontos da estrutura para o desenvolvimento de um projeto, o qual deve ter planejamento; organização; orçamento anual; condições de trabalho (estrutura de pessoal e física); busca constante por melhorias, entre outros.

Paulo CorreaCom o objetivo de reduzir custos com prestadores de serviço e se tornarem autosuficiente, o hotel decidiu investir na manutenção dos produtos dentro do empreendimento, que conta com uma sala de manutenção, um almoxarifado geral do setor, oficina de consertos de equipamentos eletro-eletrônicos, oficina geral, oficina de ar condicionado e estoque de peças e componentes. “Nosso empreendimento é todo automatizado, o que afasta cada vez mais o controle humano e deixando a cargo das máquinas. Pra que a gente entenda como é o trabalho de um setor, é necessário conhecermos qual a abrangência deste setor, para que o serviço seja executado com propriedade. Nosso setor de infraestrutura conta com o departamento de manutenção e automação, onde conseguimos controlar através de sistemas todas as áreas do hotel”.

De acordo com Correa, o objetivo é tornar a equipe do hotel cada vez mais multifuncional, de maneira que os profissionais da manutenção consigam resolver todas as pendências do empreendimento. “Realizamos diversos treinamentos técnicos e comportamentais com os profissionais durante o ano. Dessa forma preparamos o colaborador tecnicamente mas não esquecemos do seu comportamento ético e de relacionamento pessoal”.

A Revista Hotéis é mídia apoio deste evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here


CAPTCHA Image
Reload Image