HOME Matérias Aconteceu 3° Design & Technical Summit discute novas tendências da Arquitetura e Design

3° Design & Technical Summit discute novas tendências da Arquitetura e Design

80
0
SHARE
Os arquitetos que participaram dese painel mostraram muito conhecimento

O Painel Arquitetura trouxe profissionais do segmento com um olhar disruptivo para o Design & Technical Summit, evento realizado hoje (28) pela AccorHotels. Raul Juste Lores, Redator-Chefe da revista Veja São Paulo, foi o moderador do debate que contou com a participação Jóia Bergamo do escritório Jóia Bergamo, Sérgio Athié do Athié Wohnrath e o arquiteto, Vitor Penha.

A mineira com ascendência italiana, Jóia Bergamo, trouxe sua percepção de como a hotelaria pode se transformar e apresentar, cada vez mais, ambientes onde as pessoas se sintam, verdadeiramente em casa. “O aconchego de você ser chamado pelo seu próprio nome no hotel não tem preço”.

Jóia sempre se preocupou em ouvir e atender as necessidades do cliente, levando a própria essência, mas sem descaracterizar o local, e na hotelaria não é diferente. “É primordial você se sentir em sua própria casa quando se hospeda em um hotel, é isso que faz você voltar” destaca.

Sérgio Athié fez uma conexão entre o design e o comportamento das pessoas. Ele afirmou que independente de remeter à casa, nós temos vontade de abrir o espaço e de nos relacionar com as pessoas, seguindo a linha de pensamento do CEO da AccorHotels América do Sul, Patrick Mendes, proporcionando uma nova experiência.

Athié afirma que existe uma mudança dinâmica no espaço de trabalho e isso está refletindo nos hotéis. O co-working está ganhando espaço nos empreendimentos hoteleiros e atualmente, o meio corporativo busca essa realidade, estando conectado com outras pessoas, sem ficar somente em um ambiente reservado.

Vitor Penha destacou como os projetos, onde o reuso e o reaproveitamento de materiais podem se transformar em uma arquitetura sensorial, onde a beleza da imperfeição convida o olhar para o novo.

O hotel deve ser uma célula da cidade, interagindo com ela e permitindo uma conexão das pessoas de diversas formas, seja ela em um restaurante, na academia do empreendimento ou até pelo Wi-fi. O convívio é uma das melhores partes do hotel, segundo Penha. “É importante ser um indivíduo e, além disso, participar desse todo” acrescenta.

Penha afirma que vivemos uma evolução da acessibilidade em geral e a hotelaria acompanha isso. O hotel começa a ser visto como um local de estimulo, proporcionando escaladas de percepção. “Não é apenas o que você vê, mas o que o hotel te conta”. Atualmente o hotel passa por um processo de sensibilização dentro da cidade, sendo uma célula de conforto, de significado e de experiencia única.

A tecnologia é fundamental dentro do hotel como resgate básico do indivíduo, por exemplo: uma plataforma que identifique determinado gosto do hóspede. Ao mesmo tempo, Jóia e Vitor ressaltam a importância da humanização do atendimento nos hotéis. “Parte importante é o aconchego, o chegar e o querer ficar”, finalizam.